Diabetes Mellitus: Detecção de Casos em Funcionários do Instituto de Educação de Maringá - Pr

Por: Alessandra B. Ribeiro, André H. C. Sabaini, Bruna Juliana Wanczinski, Bruno Petenuci, Ciomar A. B. Amado, érika S. Kioshima, Letícia N., Maiara de Souza e Sheila M. Raksa.

Arquivos de Ciências da Saúde da Unipar - v.6 - 2002

Send to Kindle


Resumo

Diabetes Mellitus (DM) é uma desordem metabólica crônica, caracterizada por hiperglicemia, como consequência de uma deficiência da insulina, levando à alteração do metabolismo de carboidratos, lipídeos e proteínas. Ocorre com grande frequência e suas complicações crônicas constituem uma das principais causas de invalidez e mortalidade prematura na maioria dos países desenvolvidos. A prevalência de DM tipo 1 na população é de aproximadamente 0,2% (5-10% dos pacientes diabéticos), e de DM tipo 2 é de aproximadamente 6% da população adulta (90-95% dos pacientes diabéticos), sendo que a prevalência está aumentada significativamente nas populações com idade mais avançada. Estima-se que 50% dos casos de DM permanecem sem diagnóstico, este trabalho visou detectar o número de pessoas com hiperglicemia numa amostra da população da cidade de Maringá-Pr. Realizou-se uma triagem em funcionários de escola pública, em março de 2002, promovida por entidades assistenciais juntamente com os acadêmicos do curso de Farmácia da UEM. Para a coleta de sangue utilizou-se lancetas estéreis, e a determinação de glicose sanguínea foi realizada com auxílio de um glicosímetro Advantage®. Na ocasião foi também preenchido um formulário (dados pessoais e clínicos). Foram analisados os dados de 120 pessoas, 24 homens e 96 mulheres. Os resultados demonstraram que das pessoas avaliadas, 15 (12,5%) apresentavam hiperglicemia, dos quais 6 (40,0%) eram portadores de diabetes já diagnosticado, e 9 (60,0%) ignoravam ser portadores de tal patologia. Os pacientes que apresentavam hiperglicemia eram orientados a procurar um centro de saúde especializado e consultar um médico para a confirmação do diagnóstico. Os dados demonstraram que aproximadamente 60% da população com hiperglicemia, não tinham sintomas e nem conhecimento da mesma. Este trabalho possibilitou além da detecção de hiperglicemia, a orientação da população com relação às complicações ocasionadas por esta doença e o alerta para que as pessoas diante deste quadro procurem atendimento médico.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.