Discursos Sobre a Recreação e o Lazer na Escola de Educação Física da Ufmg (1952 a 1990)

Por: Hilton Fabiano Boaventura Serejo Bernardini.

Licere - v.21 - n.2 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Esta tese objetivou analisar os discursos veiculados pelos estudos da recreação e do lazer nos currículos formais do curso de Educação Física da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais (EEFFTO- UFMG), no período de 1952 a 1990. Para tal, teve por objetivos específicos: descrever e discutir o que os discursos sobre recreação e lazer procuraram divulgar e legitimar nos currículos formais na EEFFTO-UFMG; identificar as estratégias discursivas presentes nos conteúdos, ementas e referências difundidas; compreender os significados difundidos sobre recreação e/ou lazer nos currículos prescritos da EEFFTO-UFMG. Com relação às fontes históricas, foram utilizadas, principalmente, os documentos relacionados ao currículo prescrito: o currículo formal em suas variáveis materializadas nos documentos arquivados em diversos setores da EEFFTO-UFMG, como: a Seção de Ensino, o Colegiado de Graduação em Educação Física, o Departamento de Educação Física e o Centro de Memória da Educação Física, do Esporte e do Lazer (CEMEF). A tipologia documental se enquadra nas fontes escritas impressas e manuscritas, tais como: diários de classe, provas, atas da Congregação, atas do Conselho Técnico Administrativo, planos de ensino, listas de pontos de prova da época. Com relação à análise dos dados, se deu através da análise de discurso inspirada na perspectiva arqueológica de Foucault, nos aportes metodológicos da história, além dos diálogos com a História das Disciplinas. Observei que a recreação e o lazer foram saberes presentes na formação profissional em EF em MG desde os seus primórdios. Os significados sobre a recreação estavam demarcados pelos enunciados interesse e prazer, logo, a busca pela diversão caracterizava essa área. Evidenciei, também, a associação entre jogos, recreação e infância, manifesta numa abordagem técnica e metodológica. A recreação se entrecruzaria com os discursos biológico, psicológico e sociológico numa tentativa de superar uma perspectiva biológica presente na formação à época. Além disso, a recreação foi enunciada como ocupação das horas de lazer e foi considerada uma atividade e/ou uma possibilidade de uso das horas de lazer. Quanto ao lazer, relacionava-se ao vocábulo horas, ao tempo livre, anunciando a necessidade de uma educação pelo lazer. Nos documentos estudados, lazer e recreação foram considerados fenômenos distintos, mas que se entrelaçavam e contribuíram nos percursos da história da EF no Brasil. Por fim, as leis, as reformas curriculares, a federalização, a instauração de um regime autocrático ou a reforma universitária de 1968 tiveram pouco impacto sobre as mudanças nos discursos da recreação e do lazer oriundos do currículo oficial da EEFFTO-UFMG. Além disso, os documentos estudados demonstraram estreita relação entre as mudanças de protagonistas e as mudanças nos discursos oficiais ligados a essas áreas, o que corrobora a premissa defendida neste trabalho de que as mudanças e permanências nos discursos oficiais foram demarcadas pelo protagonismo de alguns docentes.

Endereço: https://seer.ufmg.br/index.php/licere/article/view/11535

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.