Disfunção Erétil Associada à Prática de Atividade Física e Qualidade de Vida de Idosos

Por: Adriana Guimarães, Camila Araujo, , Patricia Heck, Paulo Oliveira, Taysi Seemann e Zenite Machado.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.21 - n.2 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Objetivou-se analisar a relação entre a atividade física e a qualidade de vida com a disfunção erétil de 121 idosos participantes de grupos de convivência cadastrados na prefeitura de Florianópolis, com média de idade de 73,1±7,27 anos. Aplicou-se um questionário em forma de entrevista contendo: a) identificação pessoal; b) situação socioeconômica; c) Nível de atividade física (IPAQ- versão longa adaptada para idosos); d) Qualidade de vida: WHOQOL-bref; e) Índice Internacional de Função Erétil. Verificou-se prevalência elevada de idosos com disfunção erétil (63%), sendo 18% suave, 8% moderada e 36% severa. Os idosos com e sem disfunção erétil foram suficientemente ativos (67%). Em relação a qualidade de vida, aqueles idosos com disfunção erétil apresentaram escores inferiores nos domínios Psicológico e Social, quando comparados aos sem disfunção. Houve alta prevalência de disfunção erétil e essa variável parece diminuir a percepção de qualidade de vida nos domínios psicológico e social.

Endereço: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/view/6752

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.