Disputas Sobre Performance nos Estudos de Comunicação: Desafios Teóricos, Derivas Metodológicas

Por: Adriana Amaral, Beatriz Polivanov e Thiago Soares.

Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação - v.41 - n.1 - 2018

Send to Kindle


.Resumo

Referências
AMARAL, A. Cultura pop digital brasileira: em busca de rastros político-identitários em redes. Revista
ECO-PÓS, Rio de Janeiro, v.19, n.3, 2016. Disponível em: view/5422>. Acesso em: 23 jan. 2018.
AMARAL, A.; BARBOSA, C.; POLIVANOV, B. Subculturas, re(a)presentação e autoironia em sites de rede
social: o caso da fanpage “Gótica Desanimada” no Facebook. Revista Lumina, Juiz de Fora, v.9, n.2, 2015.
Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2018
AMARAL, A.; CARLOS, G. Fandoms, objetos e materialidades: apontamentos iniciais para pensar os fandoms
na cultura digital. In: FELINTO, E.; MÜLLER, A.; MAIA, A. (Orgs.). A vida secreta dos objetos: Ecologias
da Mídia. 1. ed. Rio de Janeiro: Azougue, 2016, p.28-42.
AMARAL, A.; MONTEIRO, C. “Esses roqueiros não curtem”: performance de gosto e fãs de música no
Unidos Contra o Rock. Revista FAMECOS, Porto Alegre, v.20, n.2, 2013. Disponível em: com/UnidoscontraPUC>. Acesso em: 3 abr. 2018.
AMARAL, A.; MONTEIRO, C.; SOARES, T. O Queen, A Queen: controvérsias sobre gêneros e performances.
Revista FAMECOS, Porto Alegre, v.24, n.1, 2017. Disponível em: .
Acesso em: 2 abr. 2018.
AMARAL, A.; SOUZA, R.; MONTEIRO, C. De Westeros no #vemprarua à shippagem do beijo gay na TV
brasileira. Ativismo de fãs: conceitos, resistências e práticas na cultura digital. Revista Galáxia, São Paulo,
v.1, n.29, 2015. Disponível em: . Acesso em:
21 nov. 2017.
AMARAL, A. et al. Mapeando cenas da música pop em Porto Alegre: memórias, materialidades e indústrias
criativas. In: AMARAL, A. et al. (Orgs). Mapeando cenas da música pop: cidades, mediações e arquivos.
João Pessoa: Marca de Fantasia, 2017.
AUSTIN, J. How to do things with words. 4. ed. Cambridge (MA): Harvard University Press, 1988.
BAUMAN, R. Verbal art as performance. 2. ed. Prospect Heights, Illinois: Waveland Press, 1986.
BOYD, D. Social Network Sites as networked publics: affordances, dynamics, and implications. In:
PAPACHARISSI, Z. (Ed.). A networked self: identity, community and culture on social network sites. London:
Routledge, 2011, p.151-172.
BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão de identidade. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2010.
FRITH, S. Performing rites: On the Value of Popular Music. Harvard: Harvard University Press, 1996.
GIDDENS, A. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002.
GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 2009.
GUMBRECHT, H. Produção de presença. O que o sentido não consegue transmitir. Rio de Janeiro:
Contraponto; Editora PUC-Rio, 2010.
HENNION, A. Music Lovers. Taste as performance. Theory, Culture, Society, v.5, n.18, p.1-22, 2001.
______. Music and mediation: towards a new sociology of music. In: CLAYTON, M; HERBERT, T.;
MIDDLETON, R. (Eds.). The cultural study of music: a critical introduction. London: Routledge, 2002.
______. Gustos musicales: de una sociologia de la mediacion a una pragmática del gusto. Comunicar – Revista
Científica de Educomunicacion, v.17, n.34, p.25-33, 2010.
DISPUTAS SOBRE PERFORMANCE NOS ESTUDOS DE COMUNICAÇÃO:
DESAFIOS TEÓRICOS, DERIVAS METODOLÓGICAS
Intercom - RBCC
São Paulo, v.41, n.1, p.63-79, jan./abr. 2018
78
JANOTTI JR., J.; SOARES, T. Mentiras sinceras me interessam. In: XXIII ENCONTRO ANUAL DA
COMPÓS, 2014, Belém. Anais... Disponível em: COMUNICACAO_E_EXPERIENCIA_ESTETICA/sinceridade-jeder-thiago-compos_2165.pdf> Acesso em:
Acesso em: 11 nov. 2017.
NUNES, C. As próximas horas serão muito boas. Materialidades e estéticas da comunicação em duas
apresentações ao vivo da banda Cachorro Grande. 2016. 169f. Dissertação (Mestrado em Ciências da
Comunicação), Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo. Disponível em: jesuita.org.br/handle/UNISINOS/5183>. Acesso em: 19 dez. 2017.
PEREIRA DE SÁ, S. Somos todos fãs e haters? Cultura pop, afetos e performance de gosto nos sites de redes
Sociais. In: XXXIX CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 2016, São Paulo.
Anais... Disponível em: . Acesso
em: 11 dez. 2017.
PEREIRA DE SÁ, S.; POLIVANOV, B. Auto-reflexividade, coerência expressiva e performance como
categorias para análise dos sites de redes sociais. Contemporânea – Revista de Comunicação e Cultura,
Salvador, v.10, n.3, p.574-596, set./dez., 2012.
POLIVANOV, B. Dinâmicas identitárias em sites de redes sociais: estudo com participantes de cenas de
música eletrônica no Facebook. Rio de Janeiro: Multifoco, 2014.
POLIVANOV, B.; FIGUEIREDO, J.; MORAES, I. Rupturas em performances identitárias online:
levantamento e análise de casos em sites de redes sociais. Relatório final de pesquisa PIBIC CNPq/UFF. 2017.
PHELAN, P. Unmarked: the politics of performance. London/ New York: Routledge, 1993.
REGEV, M. Pop-Rock music: aesthetic cosmopolitanism in late modernity. Cambridge: Polity, 2013.
ROACH, J. Cities of the dead: circum-atlantic performance. New York: Columbia University Press, 1996.
SANTOS, D. O amor nos tempos do Facebook: narrativas amorosas e performances de si de jovens cubanos
no site de rede social. 2017. 142f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal Fluminense,
Niterói.
SCHECHNER, R. Between Theater and Anthropology. 2. ed. Philadelphia: University of Pennsylvania
Press, 2006.
______. Performance studies: an introduction. 3. ed. New York: Routledge, 2013.
SOARES, T. Enfrentamentos políticos e midiáticos de fãs de música pop em Cuba. Logos: Comunicação e
Universidade, v.23, n.2, p.65-76, 2016.
TAYLOR, D. O arquivo e o repertório: Performance e Memória Cultural nas Américas. Belo Horizonte:
Editora UFMG, 2013.
TURNER, V. From ritual to theater: the human seriousness of play. New York: Performing Arts Journal
Publications, 1982.
ZUMTHOR, P. Performance, recepção, leitura. 2. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

O presente artigo discute o termo “performance” nos estudos de Comunicação e mídia a partir de um resgate crítico-teórico do mesmo. Partimos de uma reconstituição conceitual do termo em suas vertentes das Ciências Humanas e Sociais francesa e anglo-saxã para apresentarmos seus desdobramentos no campo comunicacional brasileiro, sobretudo no que tange a temáticas como a música e o entretenimento, os fãs e os sites de redes sociais. Argumentamos que os estudos de performance são relevantes para entender as ações humanas, bem como suas mediações com os corpos, aparatos, ambientes, materialidades e audiências tão corriqueiras no cotidiano da vida contemporânea. Contudo, indicamos a necessidade de rediscussão do conceito para a análise de distintos objetos e ambientes mediados pelas tecnologias de comunicação e apontamos a possibilidade de entender a performance enquanto método de pesquisa.

Endereço: http://www.portcom.intercom.org.br/revistas/index.php/revistaintercom/article/view/3044

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.