Distribuição da Pressão Plantar Durante o Andar e o Correr em Crianças

Por: Paula Ribeiro Mesquita.

68 páginas. 2016 02/04/2016

Send to Kindle


Resumo

A distribuição da pressão plantar tem sido descrita como uma indicadora das cargas impostas ao sistema musculoesquelético durante as atividades dinâmicas e pode fornecer informações a respeito do funcionamento do pé durante o deslocamento. Objetivo: Descrever e comparar a distribuição da pressão plantar durante o andar e o correr em crianças eutróficas de 4 a 10 anos. Métodos: Foram coletados os dados da pressão plantar de 103 crianças eutróficas entre 4 e 10 anos de idade, utilizando a plataforma Emed n-50® (Novel, Alemanha) durante o andar e o correr em velocidade auto selecionada. O tempo de contato relativo, o pico de pressão e a força máxima e a área de contato absolutas e relativas foram analisados em 5 regiões (calcanhar, mediopé, antepé, hálux e dedos), além da área total do pé. Resultados: As variáveis morfológicas peso, estatura, índice de massa corpórea (IMC) e comprimento do pé apresentaram aumentos graduais e contínuos, enquanto o índice do arco plantar (IAP) sofreu decréscimos com o aumento da idade. As cargas plantares e a área de contato do pé foram maiores durante o correr em relação ao andar, entretanto, foram observados alguns aumentos das variáveis para o andar na região do calcanhar. As diferenças entre o andar e o correr puderam ser observadas tanto para variáveis absolutas quanto para aquelas com valor normalizado. Na análise da correlação entre a pressão plantar e a idade, foi encontrada influência da idade sobre a pressão plantar, com tendência a aumento das variáveis nas regiões do calcanhar, antepé, hálux e dedos, e reduções na área do mediopé. As variáveis morfológicas também apresentam correlações significativas com a distribuição da pressão plantar, principalmente com as variáveis absolutas força máxima e área de contato. A força máxima relativa apresentou correlações negativas com a idade, o peso e a estatura e as correlações significativas com o índice do arco plantar foram encontradas principalmente para a área de contato relativa em todas as regiões do pé e para as demais variáveis na região do mediopé. Conclusão: Os resultados indicam que os valores das variáveis de pressão plantar são mais altos para o correr em relação ao andar em crianças de 4 a 10 anos. Maiores cargas plantares podem estar associadas aos aumentos no peso corporal e estatura dos participantes e as tendências de valores crescentes das variáveis plantares no calcanhar, antepé, hálux e dedos, e decrescentes no mediopé, estão possivelmente associadas ao processo de maturação das crianças. Essas relações entre a pressão plantar e o processo maturacional ocorrido com o aumento da idade são corroboradas pelas correlações significativas encontradas entre a pressão plantar, a idade e as variáveis morfológicas. Os dados podem ser utilizados como referência para comparação com estudos que avaliem o andar e o correr de crianças e adultos.

Endereço: http://googleweblight.com/?lite_url=http://repositorio.unb.br/handle/10482/19838&lc=pt-BR&s=1&m=638&host=www.google.com.br&ts=1513860436&sig=AOyes_QmR5mcQZhD_a2wcQ80t8k0PWgybg

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.