Distribuição da Pressão Plantar e Percepção da Dor em Obesos no Pré-opertório de Cirurgia Bariátrica

Por: Graziela de Gasperi.

2010

Send to Kindle


Resumo

A obesidade tornou-se um dos mais graves problemas mundiais relativos à saúde. Estima-se que cerca de 300 milhões de pessoas hoje no mundo sejam portadoras dessa patologia, que é caracterizada por um aumento anormal da gordura corporal, a ponto de comprometer a saúde do indivíduo. O índice de massa corporal (IMC) é um índice amplamente utilizado para representar o grau de obesidade. Quando o IMC encontra-se em um valor igual ou acima de 40 kg/m², caracteriza-se a obesidade mórbida. Estudos mostram que há aumento nos índices de pressão plantar e maiores picos de pressão durante a marcha em obesos quando comparados com não-obesos. Essa alteração na distribuição da pressão plantar pode ter conseqüências na vida diária dos indivíduos, afetando sua locomoção, a realização de tarefas e seu equilíbrio corporal, uma vez que este depende da massa corporal imposta sobre as articulações que suportam o corpo. Ainda, o excesso de tecido adiposo leva a sobrecarga das articulações, principalmente joelho e tornozelo, levando a dores e desconfortos. Dessa forma, o objetivo deste estudo foi analisar a influência da obesidade mórbida na distribuição da pressão plantar e na percepção de dor nos pés de indivíduos obesos mórbidos no pré-operatório de cirurgia bariátrica. Dez indivíduos obesos mórbidos participaram do estudo, que ocorreu na cidade de Florianópolis/SC. Para a avaliação da distribuição da pressão plantar, picos de pressão plantar e deslocamento do centro de pressão (COP), utilizou-se um sistema de baropodometria computadorizado, Emed-AT (Novel, Alemanha). Foram também coletados dados relativos à presença de doenças associadas à obesidade e dores na região dos pés. A coleta dos dados foi realizada no dia anterior a cirurgia bariátrica a que se submeteram os indivíduos. A partir do uso da estatística descritiva, observou-se a prevalência do gênero feminino entre os participantes do estudo (80%), que obtiveram média de idade de 34 anos e média de IMC de 39,54 kg/m². Os maiores valores de pico de pressão plantar e pressão plantar média foram encontrados na região do hálux, seguido pelas cabeças dos primeiro, segundo e terceiro metatarsos, ocorrendo correlação significativa entre o IMC e os picos de pressão plantar para as regiões do mediopé e hálux e entre o IMC e a pressão plantar média para a região do mediopé (p<0,05). O deslocamento medial do COP mostrou-se mais provável de ocorrer entre os participantes do estudo, ainda que tenham sido encontradas diferenças entre os valores de cada pé em um mesmo indivíduo. O índice do arco plantar mostrou que os obesos participantes apresentaram tipo de pé caracterizado como normal; cinco indivíduos relataram não sentir dores na região do pé, enquanto entre os participantes restantes, a dor foi presente durante a deambulação, durante a posição estática ou durante as duas situações, tendo intensidade média de 6,2 cm de acordo com a Escala Visual Analógica. A doença associada mais prevalente foi a hipertensão arterial sistêmica, relatada por cinco indivíduos. A partir dos resultados encontrados, concluiu-se que há influência da obesidade mórbida sobre a distribuição plantar, mas não se pode afirmar que haja influência sobre a percepção de dor nos indivíduos do estudo.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.