Dos Contadores de Historias e das Historias dos Contadores

Por: ângela Barcellos Café.

2000 31/08/2000

Send to Kindle


Resumo

Contar e ouvir histórias tem hoje a possibilidade de colocar o sonho e a fantasia em um mundo criado pela informação estereotipada. Esta dissertação objetiva identificar, com base nas experiências de um grupo específico de contadores de histórias, os espaços possíveis para essa atividade, nas sociedades atuais, caracterizando-a como atividade de lazer, visando contribuir com a formação do professor de Educação Física, pela rica utilização da linguagem corporal e o conteúdo lúdico inerente à essa atividade. Assim, no primeiro capítulo apresento o grupo Gwaya - Contadores de HistóriaslUFG, em sua formação e constituição e as atividades desenvolvidas pelos seus integrantes. As atividades de formação de multiplicadores são discutidas, enfatizando os recursos da linguagem corporal, oralidade e gestualidade. No segundo capítulo, iniciando pela discussão sobre o lúdico, procuro identificar as transformações e re-significações da cultura, mostrando as possíveis origens do contador de histórias, caracterizando-a, no mundo de hoje, como atividade de lazer. Desta forma, o lazer é discutido em suas possibilidades atuais de encantar ou encantoar, refletidas nas experiências do grupo Gwaya. Com a intenção de contribuir para um mundo mais feliz, povoado por muitas histórias que podem suscitar emoções diversas, o sonho e a fantasia, este trabalho aponta C3m1n hos a serem percorridos, e estudos a serem aprofundados, para que se possa intervir na realidade atual, por meio de uma atividade de lazer.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000211350&opt=1

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.