Educação Física Escolar e Formação de Atletas: Existe Essa Relação?

Por: Luciana Perez Bojikian.

Educação Física Escolar e Esporte de Alto Rendimento: Dá Jogo?.

Send to Kindle


Resumo

O Esporte na escola

O Esporte é sem dúvida apaixonante! Está culturalmente arraigado em nossa sociedade.

O Esporte é um fenômeno único, mas polissêmico (tem múltiplos significados). O Esporte transmite valores que participam da formação do indivíduo (MARQUES; ALMEIDA; GUTIERREZ, 2007). A forma como o Esporte é visto e compreendido, sofre influências culturais que dependem do contexto e das oportunidades disponibilizadas para o sujeito que o interpreta. É um fenômeno que precisa ser estudado em suas múltiplas dimensões.

De acordo com a legislação brasileira as formas de manifestação do Esporte são: Esporte de Participação, Esporte de Rendimento e Esporte Educacional. O Esporte de participação tem caráter voluntário e contribui para a integração dos praticantes, visa à saúde e educação e preservação do meio ambiente. O Esporte de rendimento tem o objetivo da busca de resultados competitivos e integração entre países. O Esporte Educacional é o Esporte praticado nas instituições de ensino. Deve buscar o desenvolvimento integral e a formação para a cidadania, além de evitar a hipercompetitividade (LUGUETTI; BÖHME, 2011).

O Esporte pode ser uma ferramenta por meio da qual o educador pode desenvolver no seu aluno desde habilidades e capacidades motoras, até cooperação e competição, valorização da autoestima, relacionamento interpessoal, respeito a regras e pessoas, conhecimentos diversos, análise de situações e tomadas de decisão.

Referências

BARBANTI, V.J. Formação de esportistas. Barueri: Manole, 2005.

BETTI, M.; ZULIANI, L.R. Educação física escolar: uma proposta de diretrizes pedagógicas. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v.1, n.1, p.73-81, 2002.

Bohme, M.T.S. O treinamento a longo prazo e o processo de detecção, seleção e promoção de talentos esportivos. Revista do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte. v.21, n.2/3, p. 4-10, 2000.

_______ . Talento esportivo. In: TANI, G.; GAYA, A; MARQUES, A. (Orgs.). Desporto para crianças e jovens: razões e finalidades. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.

_______ . Esporte infanto-juvenil. São Paulo: Phorte, 2011.

_______ ; BOJIKIAN, L.P.; MASSA, M.; LIMA, M.R. Sistemas de identificação e desenvolvimento de talentos. In: BÖHME, M.T.S.; BASTOS, F.C. (Orgs.) Esporte de alto rendimento. São Paulo: Phorte, 2015. Cap 6, p. 147-173.

BOJIKIAN, L.P. Processo de formação de atletas de voleibol feminino. 2013. 166 f. (Tese de Doutorado). Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

BOMPA, T.O. Total training for young champions: Proven conditioning programs for athletes ages 6 to 18. Champaing: Humam Kinetics, 2000

BRACHT, V.; ALMEIDA, F.Q. Esporte, escola e a tensão que os megaeventos esportivos trazem para a Educação Física Escolar. Em Aberto, Brasília, v.26, n.89, p.131-143, jan./jun. 2013.

BRASIL. Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases. 1996.

_______ . Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEM, 1997 (Área: Educação Física; Ciclos 1 e 2).

_______ . Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEM, 1998 (Área: Educação Física; Ciclos 3 e 4).

_______ . Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Ensino Médio. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEM, 1999 (Área: Linguagens, códigos e suas tecnologias).

_______ . Programa Formação Esportiva na Escola - Atleta na Escola. Disponível em: www.esporte.gov.br. Acesso em 06/03/2015a.

_______ . Programa Mais Educação. Disponível em: www.mec.gov.br acesso em 06/03/2015b.

_______ . Programa Segundo Tempo. Disponível em: www.Esporte.gov.br acesso em 06/03/2015c.

BRITO, N.; FONSECA, A.M.; ROLIM, R. Os melhores atletas nos escalões de formação serão igualmente os melhores atletas nos escalões sênior? Análise centrada nos rankings femininos das diferentes disciplinas do atletismo ao longo das duas últimas décadas em Portugal. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v.4, n.1, p.17-28, 2004.

CANADIAN SPORT CENTERS. Canadian sport for life: through long-term athlete development. Disponível em: http://www.canadiansportforlife.ca/learn-about-canadian-sport-life/ltad-stages Acesso em: 02 mai 2013.

COMITÊ OLÍMPICO BRASILEIRO (COB). Demonstração da aplicação dos recursos provenientes da Lei Agnelo-Piva. 2009. Disponível em <http://www.cob.org.br>. Acesso em: 15 maio 2010.

D’ANGELO, F.L. Alfabetização corporal, jogo e qualidade de vida: Tríade fundamenta o conceito e a prática do “Se Movimentar”. Revista pre-univesp. 2014. Disponível em: <http://pre.univesp.br/alfabetizacao-corporal-jogo-e-qualidade-de-vida#.VPhVq_zF_Nc>. Acesso em 02 mar. 15.

DE BOSSCHER, V.; SHIBLI, S.; BOTTENBURG, M.V.; KNOP, P.D.; TRUYENS, J. Developing a method for comparing the elite sports systems and policies of nations: a mixed research methods approach. Journal of Sports Management, v.24, p.567-600, 2010.

DE BOSSCHER, V.; Bingham,  J.; Shibli, S. Sports Policy Factors Leading to International Sporting Success. Meyer & Meyer; 2008.

DIGEL, H. A comparison of competitive sport systems. New Studies in Athletics, London, v.17, n.1, p.37-50, 2002a.

DIGEL, H. The context of talent identification and promotion: a comparison of nations. New Studies in Athletics, London, v.17, n.3/4, p.13-26, 2002b.

GALVÃO, Z.; RODRIGUES, L.H.; MOTA e SILVA, E.V. Esporte. In: DARIDO, S.C. et RANGEL, I. C. A. (coord.). Educação Física na Escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. p. 176-198 . (Coleção Educação Física no Ensino Superior).

GAYA, A. Sobre o esporte para crianças e jovens. Movimento, ano VII, n.13, 2000.

GRECO, P.J. BENDA, R.N. Iniciação esportiva universal I: da aprendizagem motora ao treinamento técnico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

GREEN, M.; OAKLEY, B. Elite sport development systems and playing to win: uniformity and diversity in international approaches. Leisure Studies, Colchester, v.20, p.247–267, 2001.

HOULIHAN, B.; GREEN, M. Comparative elite sport development: systems, structures and public policy. Burlington: Elsevier, 2008.

IBOPE. Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística. Relatório de Pesquisa: EDUCAÇÃO FÍSICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS BRASILEIRAS [Internet]. 2012. Disponível em: <http://senna.globo.com/institutoayrtonsenna/quem_somos/publicacoes/educacao_fisica_escolas_publicas/Relatorio.pdf>. Acesso em 20 fev. 15.

LUGUETTI, C.N.; BÖHME, M.T.S. Práticas esportivas escolares: o esporte no contra turno das escolas e suas possibilidades. São Paulo: Biblioteca24horas, 2011.

MARQUES, R.F.R; ALMEIDA, M.A.B. de; GUTIERREZ, G.L. Esporte: um fenômeno heterogêneo: estudo sobre o Esporte e suas manifestações na sociedade contemporânea. Movimento. Porto Alegre, v.13, n.3, p.225-244, 2007.

MARTIN, D; CARL, K.; LEHNERTZ, K. Manual de teoria do treinamento esportivo. São Paulo: Phorte, 2008.

Meira, T.B.; Bastos, F.C.; Bohme, M.T.S. Análise da estrutura organizacional do Esporte de rendimento no Brasil: um estudo preliminar. Revista brasileira de  educação física e Esporte. v.26, p.251-262,  2012.

MEIRA, T.B.; BASTOS, F.C. Estrutura organizacional esportiva. In: BÖHME, M.T.S. (Org.). Esporte infanto-juvenil: treinamento a longo prazo - talento esportivo. São Paulo: Phorte, 2011.

PERES, L.; LOVISOLO, H. Formação esportiva: teoria e visões do atleta de elite no Brasil. Revista da Educação Física, Maringá, v.17, n.2, p.211-218, 2º sem 2006.

RÉ, A.H.N. Crescimento, maturação e desenvolvimento na infância e adolescência: Implicações para o esporte. Motricidade, v.7, n.3, p.55-67, 2011.

RODRIGUES, H. de A.; DARIDO, S.C. As três dimensões dos conteúdos na prática pedagógica de uma professora de educação física com mestrado: um estudo de caso. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v.19, n.1, p.51-64, 2008.

SILVA FILHO, F.J.; SOUSA, V.M.L.; LUGUETTI, C.N.; DANTAS, L.E.P.B.T. Participação esportiva. In: BÖHME, M.T.S.; BASTOS, F.C. (Orgs.) Esporte de alto rendimento. São Paulo: Phorte, 2015. Cap 5, p. 129-145.

TANI, G.; BASSO, L.; SILVEIRA, S.R.; CORREIA, W.R.; CORRÊA, U.C. O ensino de habilidades motoras esportivas na escola e o Esporte de alto rendimento: discurso, realidade e possibilidades.  Revista brasileira de  educação física e Esporte, São Paulo, Jul-Set, v.27, n.3, p.507-18, 2013.

Tani, G.; MANOEL, E. J. Esporte, educação física e educação física escolar. In: Gaya, A.C.; Marques, A. T.; Tani, G. (orgs.) Desporto para crianças e jovens: razões e finalidades. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2004. p.113-41.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.