Educação Física Escolar: é Normal?

Por: e Rute Estanislava Tolocka.

Revista da Educação Física - UEM - v.6 - n.1 - 1995

Send to Kindle


Resumo

Considerando o movimento humano como um caminho de emancipação humana, o qual é carregado de significado e internacionalidade e pode ser usado criativamente na comunidade, propomos uma reflexão sobre a dispensa médica para as aulas de Educação Física. Notamos que a Educação Física vive uma contradição na escola, os professores não podem trabalhar com os alunos se eles tiveram alguma "anormalidade", fora dela, eles atuam com pessoas portadoras de diferentes deficiências tornando possível que estas pessoas participem em esportes e outros tipos de atividades motoras, mostrando o quanto isto é importante para elas. Dentre as razões pelas quais estes alunos não podem participar da Educação Física Escolar, encontram-se as seguintes: os objetivos e conteúdos da Educação Física Escolar, preparação profissional, condições onde as aulas são ministradas e o contexto cultural. Sugerimos ser possível descobrir caminhos que possibilitem a estas pessoas desenvolverem seus movimentos na escola.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/3969/2743

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.