Educação Física e Saúde: a Mobilização de Saberes Para Atuação nos Polos do Programa Academia da Saúde no Brasil

Por: .

130 páginas. 2014 19/09/2014

Send to Kindle


Resumo

Programas no âmbito da promoção da saúde envolvendo práticas corporais/atividade física começam a ter maior visibilidade no Sistema Único de Saúde (SUS) com a publicação da Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS) no ano de 2006, a qual dispõe sobre diretrizes e estratégias de promoção da saúde no SUS. Em 2011 o Ministério da Saúde lança o Programa Academia de Saúde com o objetivo de potencializar a promoção da saúde, a produção do cuidado e de modos de vida saudáveis da população. A implantação nos municípios deste programa se deu por meio de estruturas físicas chamadas polos, localizados na atenção básica, onde os profissionais da área de saúde entre eles os profissionais de educação física, devem lidar de modo mais direto com práticas corporais e atividade física, alimentação saudável, manifestações artísticas, educação em saúde, entre outros, dentro de uma perspectiva ampliada de saúde. Este estudo teve como objetivo central compreender os saberes que são mobilizados para o trabalho desenvolvido nas Academias da Saúde pelos profissionais de educação física. De forma específica, buscou-se identificar como os saberes são mobilizados e de que maneira podem ser articulados com o trabalho da educação física em outros serviços de saúde da atenção básica. Caracteriza-se como uma pesquisa qualitativa e descritiva que teve como colaboradores profissionais de educação física que atuavam em polos de Academias da Saúde no Brasil. O método de trabalho envolveu o mapeamento dos profissionais registrados no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) até 14 de junho de 2013, e posteriormente duas etapas virtuais. Na primeira etapa foram enviadas mensagens por e-mail para 615 profissionais, onde foi apresentado um questionário básico para manifestação de aceite. A segunda etapa consistiu na realização de entrevistas online via Skype, Facebook e Google Talk com 14 profissionais de 11 estados. As entrevistas foram gravadas, transcritas e analisadas a partir da Análise de Conteúdo (BARDIN, 2009), com o emprego da técnica de análise de conteúdo temática (MINAYO, 2007). Os resultados foram interpretados com base nas respostas dos colaboradores das entrevistas, além do material teórico-conceitual sobre saberes, desenvolvido por Tardif (2012) no campo da educação e conceitos referentes ao trabalho no campo da saúde, tais como: promoção da saúde, formação em saúde, cuidado, “trabalho vivo em ato”, “valises tecnológicas”, “caixa de ferramentas”, integralidade, saúde coletiva e atenção básica. A formação em serviço, a formação continuada e o emprego de tutores informais em serviço se destacaram como fontes de referência para a mobilização, construção e ressignificação dos saberes necessários para atuação do profissional de educação física nas Academias da Saúde. Os saberes da experiência, os saberes processuais, os saberes da formação profissional e ainda os saberes disciplinares, constituem-se como uma “caixa de saberes-ferramenta” que podem ser constituídos desde a formação inicial e continuados no trabalho vivo em ato. Desta forma, entende-se que os profissionais de educação física terão condições de compor e recompor sua bagagem de saberes a serem mobilizados nos serviços de saúde em consonância com as diretrizes do SUS. Não obstante, esta dissertação também visou mapear as políticas de formação em educação física voltadas para o campo da saúde pública e inspiradas nos pressupostos teóricos da saúde coletiva.
 

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.