Educação, Lazer e Trabalho: Relações Estabelecidas no Interior de Escolas de Educação Profissional e Tecnológica

Por: Ailton Vitor Guimarães.

383 páginas. 2014 25/02/2014

Send to Kindle


Resumo

Este estudo resulta de pesquisa cujo objetivo foi delimitar e analisar os significados das relações estabelecidas entre educação, lazer e trabalho no interior de escolas de educação profissional e tecnológica (escolas de EPT) com base nas atividades e nas manifestações culturais relacionadas ao lazer, incorporadas aos processos educacionais e ao cotidiano dessas escolas. Toma-se por objeto de estudo as relações entre educação, lazer e trabalho identificadas nessas atividades e manifestações e a questão-síntese considerada foi: essas atividades e manifestações, uma vez incorporadas aos processos educacionais nas escolas, em se tratando de uma educação e de um ensino integrados de fato, nos quais os aspectos da formação técnica específica não estariam descolados da formação humana em si mesma, perpassam e integram os processos de formação do educando/trabalhador próprios da escola de EPT, ainda que não sejam reconhecidas e/ou consideradas práticas pedagógicas nesses processos? Em resposta, a investigação foi realizada tendo em vista outros quatro objetivos mais específicos: identificar as atividades e as manifestações culturais relacionadas ao lazer presentes nos processos educacionais no interior de escolas de EPT; caracterizar as perspectivas de educação e de trabalho face aos significados conferidos a elas e, por conseguinte, ao lazer no interior dessas escolas; verificar como se dá o processo de inserção e constituição dessas atividades e manifestações nas suas articulações com o saber escolarizado; e explicitar os significados conferidos a elas na formação/educação dos alunos face às especificidades dos processos educacionais das escolas pesquisadas. Tendo a dialética materialista como princípio metodológico fundamental da pesquisa qualitativa, sua principal fonte de dados foi a realidade em suas construções, contradições e sínteses no interior das escolas, além da produção acadêmica relacionada à problemática, no campo de pesquisa em trabalho e educação, nos estudos do lazer brasileiros. Os procedimentos metodológicos, operacionais, levaram em conta dois movimentos de pesquisa interligados por correlações em espiral: a pesquisa bibliográfica, documental; e a pesquisa de campo cujas escolas pesquisadas foram o Colégio Técnico (COLTEC), no campus da UFMG, e os Campi I/II do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG). As de considerações finais – e provisórias –, indicam que as atividades e as manifestações relacionadas ao lazer, incorporadas aos processos educacionais das escolas pesquisadas, se apresentam não só como uma alternativa para lidar com o conhecimento do ponto de vista didático-pedagógico, mas, também, como possibilidades de potencializar esses processos. Pode-se dizer também que elas sugerem e/ou indicam que se está a gestar algo que rompe com o que o aprisiona no licere, naquilo que é preciso permitir, autorizar, que seria lícito experimentar. Dessa forma, os elementos de ludicidade, criatividade, prazer, de elaboração e reelaboração críticas e autônomas da realidade, próprios do ser humano ontocritativo, são dificultados, porque sujeitos a determinado controle – da escola ou de outra instituição. Sendo assim, dadas as condições das quais resulta o lazer que temos hoje na formação social capitalista em que vivemos, os indicativos apontam na direção de que os sujeitos ressignificam tempos e espaços de lazer em algo que parece não caber mais apenas sob essa denominação. Sugere-se ainda a ampliação da problemática de pesquisa nos seus vários elementos de investigação em aberto e nas possibilidades do percurso em outras trilhas, outros caminhos de pesquisa, na busca de horizontes mais promissores para a direção dada aos estudos do lazer no Brasil.

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.