Efeito Agudo da Ventilação Não Invasiva Associada Ao Exercício Físico Sobre Parâmetros Cardiovasculares e Respiratórios: Um Estudo de Caso

Por: Fábio Dutra Pereira, Guilherme Rosa e Tais Paes Guedes.

Revista de Educação Física - Centro de Capacitação Física do Exército - v.87 - n.2 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Introdução: O método de suprimento de ventilação não invasivo (VNI) durante a realização de exercícios físicos tem sido utilizado como uma ferramenta auxiliar no tratamento de pacientes com doenças pulmonares. A literatura mostra que ainda há escassez de dados acerca dos efeitos da utilização da VNI durante a realização do exercício físico sobre os parâmetros cardiorrespiratórios.

Objetivo: Avaliar o efeito do exercício físico associado a VNI sobre parâmetros cardiovasculares e respiratórios.

Métodos: Participou deste estudo de caso um indivíduo do sexo masculino, saudável, com 27 anos de idade. Foram mensurados: frequência cardíaca (FC), variabilidade cardíaca (VFC), saturação periférica de oxigênio (SPO2), pressão arterial sistólica (PAS) e diastólica (PAD) e duplo produto (DP). Foram realizados dois treinos cardiorrespiratórios em esteira ergométrica, um sem VNI e o outro com VNI. As sessões de treinamento contemplaram duração de 40 min divididos em 5 min de aquecimento com intensidade entre 50% e 55% da FC reserva, 30 min de fase específica com intensidade entre 60% e 85% da FC reserva, e 5 min de desaquecimento com intensidade de 50% a 55% da FC reserva. Para avaliar as alterações das variáveis desfecho, foi estimada a variação percentual pelo coeficiente de variação.

Resultados: A realização do exercício com VNI provocou alterações nos parâmetros cardiovasculares e respiratórios analisados, com destaque para redução da VFC (Δ%= -64,14) e PAD (Δ%= -45,82) em comparação à realização sem VNI.

Conclusão:  Os resultados do presente estudo sugerem que a realização do exercício físico com VNI pode beneficiar as respostas dos parâmetros cardiovasculares e respiratórios. Os resultados foram discutidos.

Acute Effect of Non-Invasive Ventilation Associated with Physical Exercise on Cardiovascular and Respiratory Parameters: a Case Study

Introduction: The noninvasive ventilation (NIV) method during physical exercise has been used as an auxiliary tool in the treatment of patients with pulmonary diseases. However, there is a lacune on the knowledge about cardiorespiratory parameters effects of NIV during physical exercise.

Objective: To evaluate the effect of physical exercise associated with NIV on cardiovascular and respiratory parameters.

Methods: A healthy, 27-year-old male was enrolled in this case study. Heart rate (HR), cardiac variability (HRV), peripheral oxygen saturation (SPO2), systolic blood pressure (SBP) and diastolic blood pressure (DBP) and double product (SD) were measured. Two cardiorespiratory treadmills were performed on treadmill, one without NIV and the other with NIV. The training sessions included 40 min duration divided in 5 min of heating with intensity between 50% and 55% of reserve HR, 30 min of specific phase with intensity between 60% and 85% of reserve HR, and 5 min of cooling with intensity of 50% to 55% of reserve FC. To express the changes of the variables, the percentage change was estimated by the coefficient of variation.

Results: The exercise with NIV caused changes in cardiovascular and respiratory parameters, with a reduction in HRV (Δ% = -64.14) and DBP (Δ% = -45.82) in comparison with non-NIV.

Conclusion: Our findings suggested that physical exercise with NIV use may benefit in association with exercise in relation to cardiovascular and respiratory parameters. The results were discussed.

Referências

– Silva KR, Marrara KT, Marino DM, Di Lorenzo VAP, Jamami M. Fraqueza muscular esquelética e intolerância ao exercício em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica. Revista Brasileira de Fisioterapia. 2008;12(3):169-175.

– Brunetto AF, Pitta FO, Probst VS, Paulin E, Yamaguti WPS, Ferreira LF. Influência da saturação de O2 na velocidade do teste de distância percorrida em 6 minutos, em pacientes com DPOC grave. Revista Brasileira de Fisioterapia. 2003;7(2):123-129.

– Borghi AS, Sampaio LMM, Toledo A, Pincelli MP, Costa D. Efeitos agudos da aplicação do BIPAP sobre a tolerância ao exercício físico em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Revista Brasileira de Fisioterapia. 2005;9(3):273-280.

– Dourado VZ, Godoy I. Recondicionamento muscular na DPOC: principais intervenções e novas tendências. Revista Brasilera de Medicina do Esporte. 2004;10(4):331-334.

– Hill K, Holland AE. Strategies to Enhance the Benefits of Exercise Training in the Respiratory Patient. Clinics In Chest Medicine. 2014; 35(2): 323-336.

– Paulin E, Brunetto AF, Carvalho CRF. Efeitos de programa de exercícios físicos direcionados ao aumento da mobilidade torácica em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica. Journal of Pneumology. 2003;29(5): 287-294.

– Freitas CG, Pereira CAC, Viegas CAA. Capacidade inspiratória, limitação ao exercício, e preditores de gravidade e prognóstico, em doença pulmonar obstrutiva crônica. Jornal Brasileiro de Pneumologia. 2007;33(4):389-396.

– Vilaró J, Resqueti VR, Fregonezi GAF. Avaliação clínica da capacidade do exercício em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica. Revista Brasileira de Fisioterapia. 2008;12(4):249-259.

– Ambrosino N, Strambi S. New strategies to improve exercise tolerance in chronic obstructive pulmonary disease. European Respiratory Journal. 2004; 24(2): 313-322.

– Moreno J, Corso SD, Malaguti C. Análise descritiva do uso de ventilação mecânica não invasiva durante exercício em pacientes com DPOC. ConScientiae Saúde. 2007;6(2):295-303.

– GIL A C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª ed. São Paulo: Atlas; 2007.

– Alves Mazzotti AJ, Gewandsznajder F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Pioneira; 1998.

- ACSM. Manual do ACSM para avaliação da aptidão física relacionada à saúde. 3ªEd: Guanabara Koogan; 2011.

- Marfell-Jones T, Stewart A, Carter L. International standards for anthropometric assessment. ISAK: International Society for the Advancement of Kinanthropometry,South Africa. 2006.

– Silva AB, Mendes RG, Trimer R, Oliveira CR, Fregonezi GAF, Resqueti VR, et all. Potential effect of 6 versus 12-weeks of physical training on cardiac autonomic function and exercise capacity in chronic obstructive pulmonary disease. European Journal of Physical and Rehabilitation Medicine. 2015;51(2):211-221.

– Dourado VZ, Tanni SE, Antunes LCO, Paiva SAR, Campana AO, Renno ACM, at all. Effect of three exercise programs on patients with chronic obstructive pulmonary disease. Brazilian Journal of Medical and Biological Research. 2009;42(3):263-271.

– Pissulin FDM, Guimarães A, Kroll LBU, Cecílio MJ. Utilização da pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP) durante atividade física em esteira ergométrica em portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC): Comparação com o uso de oxigênio. Jornal Brasileiro de Pneumologia. 2002; 28(3): 131-136.

– Skyba P, Joppa P, Orolín M, Tkáčová R. Blood pressure and heart rate variability response to noninvasive ventilation in patients with Exacerbations of Chronic Obstructive Pulmonary Disease. Physiological Research. 2007;56: 527-533.

– Santana VTS, Squassoni SD, Neder JA, Fiss E. Influência do tabagismo atual na aderência e nas respostas à reabilitação pulmonar em pacientes com DPOC. Revista Brasileira de Fisioterapia. 2010;14(1):16-23.

– Dreher M, Storre JH, Windisch W. Noninvasive ventilation during walking in patients with severe COPD: a randomized cross-over trial. European Respiratory Journal. 2007; 29(5):930–936.

Endereço: http://177.38.96.106/index.php/revista/article/view/721

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.