Efeito Agudo do Exercicio Aeróbio: Relação com o Controle Glicemico Pós Pradial

Por: Frank Jesus Pereira, Luma Gabriely Neitzl, Michely Vieira Andreatta, Miguel de Padua Fischer, Nuno Manuel Frade de Sousa, Rosângela dos Reis Siqueira, Valerio Garrone Barauna e Victor Kulnig.

43º Simpósio Internacional de Ciências do Esporte Simpoce

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Uma dessas estratégias para atenuar o pico glicêmico pós-prandial pode ser o exercício físico, uma vez que uma única sessão de exercício é suficiente para promover o aumento na captação de glicose pela célula. Objetivo: Analisar o efeito agudo do treinamento aeróbio em relação controle glicêmico pós-prandial em indivíduos saudáveis. Metodologia: 15 homens sedentários (24,9 ± 1,2 anos; IMC 21,6 ± 2,82; HbA1c 5,5 ± 0.5%; glicose de jejum 81.1 ± 9.1 mg/dL) foram submetidos a duas intervenções, de forma randomizada: (i) exercício aeróbio intervalado em jejum (EAI; 10 min aquecimento, 7 blocos de 3 min 65-75% FCmax e 2 min 85-95% FCmax, 5 min retorno à calma); (ii) controle (CON; repouso absoluto pelo mesmo tempo de exercício). Todos os sujeitos compareceram ao laboratório em jejum de 10 horas. Foi realizado um teste de tolerância à refeição (TTR) 30 minutos após o exercício, que consistia em uma refeição de 479 Kcal (55% CHO, 30% LIP e 15% PTN). Sangue venoso foi coletado para analisar insulina, glicose e peptídeo-C tanto nas intervenções EAI e CON, no qual eram coletados os momentos pré TTR, 10, 20, 30, 60, 90 e 120 minutos pós TTR. Foi utilizado o teste de medidas repetidas de duas vias ANOVA para avaliar a interação entre intervenção e tempo. Resultados: A glicose sanguínea se manteve estatisticamente superior em relação ao pré TTR até ao momento 30 min, tanto para a intervenção CON como EAI p≤0,05(tabela 1). Entretanto, no momento 30 min, a glicose estava estatisticamente superior para CON. A insulina também apresentou concentrações sanguíneas estatisticamente superiores para CON nos momentos 60 e 120 min após TTR. Além disso, após 120 min de TTR, a insulina ainda se apresenta superior em relação ao pré para CON, ao contrário do EAI que voltou aos valores basais 120 min após TTR. Por último, o peptídeo-C também apresenta concentrações superiores para CON nos momentos 30, 60, 90 e 120 min após TTR, sendo que 120 min após a refeição ainda se encontram superiores em relação ao repouso. Conclusão: apesar da glicose sanguínea apresentar uma reposta semelhante após TTR, o retorno aos valores basais para quem realizou exercício físico é realizado com menor liberação de insulina e peptídeo-C.

Endereço: http://celafiscs.org.br

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.