Efeito Agudo do Exercício Resistido com Restrição Ao Fluxo Sanguíneo Sobre Variáveis Metabólicas, Hemodinâmicas, Perceptivas e Eletromiográficas em Adultos

Por: Paulo José da Fonseca Ribeiro Magalhães.

88 páginas. 2017 31/07/2017

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi analisar as respostas metabólicas, hemodinâmicas perceptivas e eletromiográficas do exercício de baixa intensidade (BI) com restrição de fluxo sanguíneo RFS (30%1RM+RFS) e de BI (30%1RM), no meio agachamento livre (MAL) nos momentos pré e pós, e compará-las entre praticantes de CrossFit® e Treinamento Resistido (TR). Nesse sentido, analisou-se a produção de lactato sanguíneo, pressão arterial (PA), frequência cardíaca (FC) e percepção de esforço/dor (PSE/PSD) nos períodos pré e pós exercício, e sinal eletromiográfico (EMG) durante as séries, dos músculos Reto Femoral (RF), Vasto Lateral (VL), Vasto Medial (VM) e Bíceps Femoral (BF). Participaram do estudo 19 indivíduos do sexo masculino, sendo 10 de TR (idade = 25,40 ± 1,64 anos; percentual de gordura = 8,36 ± 2,20%; massa corporal = 78,88 ± 6,81 Kg; estatura = 176,00 ± 5,31cm; frequência semanal de treinamento = 4,50 ± 0,85 dias; tempo de treinamento = 4,90 ± 1,28 anos) e 9 de CrossFit® (idade = 27,44 ± 3,94 anos; percentual de gordura = 7,87 ± 3,71%; massa corporal = 83,37 ± 7,78; estatura = 177,00 ± 7,00m; frequência semanal de treinamento = 4,67 ± 0,50 dias; tempo de treinamento = 2,22 ± 0,44 anos). No primeiro dia, os indivíduos realizaram medidas antropométricas e teste de uma repetição máxima (1RM) (TR = 112,40 ± 17,35 kg; CrossFit® = 137,11 ± 26,89 kg). Com intervalo entre 48 a 72 horas foram realizadas duas sessões aleatórias do exercício supracitado com pressão de oclusão (60% pressão total) e os manguitos fixados na parte proximal dos membros inferiores: a) 30%1RM + RFS (4 séries 30, 15, 15, 15 repetições) b) 30%1RM (4 séries 30, 15, 15, 15 repetições), sendo coletados o lactato sanguíneo no repouso e 2 minutos após o exercício, PSE e PSD no repouso e após a sessão, PAS e FC no repouso, 5º e 10º minutos e sinal EMG durante as séries de ambos os protocolos. Foram realizados testes estatísticos de homogeneidade de variância, além dos testes t de Student para amostras independentes, avaliação de medidas repetidas para a interação grupo vs. tempo, seguida do post-hoc de Bonferroni, adotando-se o valor de significância p ≤ 0,05. Ambos os grupos aumentaram significativamente (efeito tempo; p=0.001) no protocolo (BI 30% 1RM+RFS / BI 30% 1RM) e (efeito interação; p=0.003) no protocolo (BI 30% 1RM+RFS), porém no protocolo (BI 30% 1RM), não apresentou diferença (efeito interação; p=0.904). Na PSE e PSD, os valores aumentaram significativamente do repouso para o pós-exercício (efeito tempo; p=0.001) para ambos os protocolos e não apresentou diferença significativa (efeito interação; p=0.205/p=0.180), respectivamente. O comportamento da PAS (efeito tempo; p=0.001) apresentou diferença significativa em ambos os protocolos, e não apresentando diferença significativa no protocolo (BI 30%1RM+RFS) (efeito interação; p=0.759), porém apresentou diferença significativa no protocolo (BI 30%1RM) (efeito interação; p=0.034). Em relação à FC, ambos os protocolos apresentaram diferença significativa (efeito tempo; p=0.001), e não apresentaram diferença entre grupos (efeito interação; p=0.322/p=0.502). Na ativação muscular foi encontrada diferença durante as séries (efeito tempo; p=0.001) para ambos os protocolos, e não foi encontrada diferença entre os grupos (efeito interação; p=0.320). Nossos achados indicam o que já era esperado em relação as respostas das variáveis investigadas. Em relação aos momentos pré e pós, todas apresentaram aumento dos valores, enquanto que na comparação entre grupos algumas variáveis indicam que os grupos investigados apresentam particularidades em relação ao tipo de treinamento que praticam.

Endereço: https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/5791

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.