Efeito da Corrente Interferencial, 2000hz, no Limiar de Dor Induzida

Por: Gitana Daiala Pereira, Gladson Ricardo Flor Bertolini, José Luiz Marinho Portolez, Katia Mazzaro Cassolato, Pedro Henrique Lazarin e Talita Oliveira Canto.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.17 - n.4 - 2011

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi verificar a eficácia da corrente interferencial na diminuição da dor frente a um estímulo doloroso pressórico e ao frio, em indivíduos saudáveis, utilizando técnica de aplicação bipolar sobre a raiz nervosa. Quatorze voluntários participaram deste estudo e foram divididos em dois grupos. No primeiro dia, um grupo foi submetido à corrente interferencial enquanto o outro não realizou a terapia. No dia seguinte, os grupos foram trocados. Foram avaliados os limiares da dor por pressão, com um algômetro, e o da dor ao frio, além do desconforto pela Escala Visual de Escala da Dor (EVAD). Como forma de eletroestimulação, foi utilizada a corrente interferencial com os parâmetros 2.000Hz de corrente base, com AMF de 100Hz, ΔF 50%, slope 1/1. Os indivíduos foram reavaliados em três momentos: logo após eletroestimulação, 20 minutos após e uma hora depois. Quanto à comparação entre as avaliações com o algômetro de pressão e desconforto ao frio, os resultados não foram significativos, tanto no grupo placebo quanto no grupo eletroestimulado. Nas avaliações do limiar da dor ao frio houve diminuição do limiar de dor no grupo eletroestimulado. Conclui-se que o uso da corrente interferencial, com os parâmetros utilizados, não produziu alteração no limiar de dor à pressão nem no desconforto ao frio, mas produziu diminuição do limiar de dor ao frio.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922011000400009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.