Efeito da Instrução Verbal na Atividade Eletromiográfica Durante o Exercício de Remada Sentada com e Sem Pré Exaustão Muscular

Por: Rafael Akira Fujita.

83 páginas. 2019 28/03/2019

Send to Kindle


Resumo

Há necessidade de esclarecimento sobre o efeito do método pré exaustão muscular na atividade eletromiográfica, visto que a literatura aponta resultados controversos sobre seu efeito no músculo específico. Em relação a instrução verbal, os estudos apontam resultados positivos em cargas até 60%1RM, mas há controvérsias a 80%1RM. O presente estudo verificou o efeito da instrução verbal em condições com e sem pré exaustão muscular sobre os domínios temporal e espectral do sinal eletromiográfico nas repetições iniciais, intermediárias e finais do exercício remada sentada. Foram coletados dados de 20 adultos jovens (19,80 ± 1,54 anos, 71,92 ± 9,39 kg e 177,28 ± 7,07 cm) com pouca (4,78 ± 1,30 meses) ou nenhuma experiência no treinamento de força. Todos estavam sem treinar há pelo menos 12 meses. Inicialmente houve o teste de quantificação de cargas, posteriormente nos testes 1 e 2, o sinal eletromiográfico foi registrado nos músculos: bíceps braquial, deltoide posterior, latíssimo do dorso e redondo maior. No Teste 1, uma série com e outra sem pré exaustão muscular foi realizada de forma randomizada com repetições máximas na intensidade de 70% de 1RM. O Teste 2 seguiu os mesmos procedimentos de coleta sendo acrescentada apenas a instrução verbal: "Concentre-se em estender o ombro, puxe com as costas". Os resultados apontaram que os voluntários aumentaram 7,44% (p = 0,049) a amplitude da atividade eletromiográfica do latíssimo do dorso nas repetições iniciais. Neste mesmo intervalo o redondo maior aumentou 15,63% (p = 0,020) na condição de instrução verbal com pré exaustão e os demais músculos não modificaram sua atividade. Nos intervalos intermediário e final os voluntários não alteraram a amplitude da atividade eletromiográfica com a instrução verbal em nenhum músculo analisado. Além disso, os voluntários não modificaram a frequência mediana do sinal em nenhum músculo durante toda série com instrução verbal. Em relação a pré exaustão, não houve alteração da amplitude da atividade eletromiográfica em nenhum músculo analisado. Os resultados mostram que a pré exaustão reduz 11,21% (p < 0,002) a frequência mediana no redondo maior e 8,58% (p < 0,002) no deltoide posterior no intervalo inicial. No intervalo intermediário esse padrão se repetiu, houveram reduções de 5,85% (p < 0,002) e 4,57% (p < 0,002) para os músculos redondo maior e deltoide posterior respectivamente. Os demais músculos não apresentaram modificações, assim como no intervalo final. Por fim os resultados mostraram que a pré exaustão muscular reduziu o número de repetições na remada sentada
 

Endereço: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/109/109131/tde-23052019-110017/pt-br.php

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.