Efeito da Suplementação de Cafeína Sobre a Contribuição dos Sistemas Energéticos em Exercícios com Intensidades Acima da Potência Crítica

Por: Rodrigo Luis da Silveira Silva.

63 páginas. 2016 02/03/2016

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Vários estudos evidenciaram o efeito do consumo de cafeína na performance aeróbia e anaeróbia, utilizando protocolos que simulam situações vivenciadas no meio esportivo. Por outro lado, poucos estudos avaliaram o efeito da suplementação da cafeína na contribuição dos sistemas energéticos. O efeito ergogênico da suplementação de cafeína em exercícios de alta intensidade pode estar associado à sua influência sobre o sistema anaeróbio, mais especificamente na porção lática. Objetivo: Investigar o efeito da suplementação com cafeína sobre a contribuição de cada sistema energético e o tempo de exaustão em exercícios físicos realizados em intensidades acima da potência crítica. Métodos: Foram recrutados nove participantes saudáveis e fisicamente ativos que realizaram um teste incremental no cicloergômetro para determinação do primeiro limiar ventilatório (LV1) e do consumo máximo de oxigênio (VO2máx). A partir da carga referente ao LV1 foram calculadas a carga de aquecimento (90% do LV1), e as cargas dos testes experimentais a partir do delta (Δ), que corresponde à diferença entre as cargas do VO2max e LV1. As cargas dos testes experimentais foram: Δ80 (80% do Δ + carga do LV1), e as cargas referentes a 100 e 120% do VO2max. Os testes experimentais foram realizados com carga fixa prédeterminada até a exaustão. Foram coletadas amostras de sangue para dosagem de lactato e medidas de gases para o VO2. Uma hora antes de cada sessão experimental, cada participante ingeriu uma cápsula contendo 5 mg/kg de massa corporal de cafeína ou placebo (celulose). Foi utilizado um desenho duplo-cego, contrabalanceado e controlado por placebo. O cálculo da contribuição dos sistemas energéticos foi realizado utilizando um software gratuito (GEDAE-LaB), disponível em http://www.gedaelab.org/, a partir das medidas de VO2 e lactato. Resultados: A cafeína não promoveu aumento da contribuição anaeróbia em nenhuma das intensidades utilizadas. A suplementação de cafeína incrementou a contribuição aeróbia no Δ80 e teve uma tendência de aumento na carga referente ao VO2máx. O gasto energético total e o tempo de exaustão no Δ80 e VO2máx foram maiores após a suplementação de cafeína. Conclusão: No presente estudo o efeito ergogênico da cafeína não foi proporcional ao aumento da intensidade do exercício. O aumento do tempo de exaustão e do gasto energético total foram sustentados pelo incremento na contribuição aeróbia promovido pela cafeína.

Endereço: http://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/17829

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.