Efeito da Terapia com Diodos Emissores de Luz (led) no Desempenho e Recuperação de Jogadores de Futsal Submetidos a Um Protocolo de Exercício Que Simula a Distância Percorrida, as Respostas Fisiológicas e o Esforço Físico de Partidas de Futsal

Por: Victor Hugo de Freitas.

2017 10/04/2017

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi verificar o efeito de uma partida simulada de futsal (PSF) no desempenho físico e em marcadores de dano muscular induzido pelo exercício (DMIE) de jogadores, propor um protocolo de exercício para simular a distância percorrida, as respostas fisiológicas e o desgaste físico de partidas de futsal (FISP), e verificar o efeito da terapia com diodos emissores de luz (LED) no desempenho físico e no DMIE de jogadores submetidos ao FISP uma única vez e por dias consecutivos. No experimento 1, treze jogadores (19,0 ± 1,0 anos, 173,7 ± 5,6 cm e 69,4 ± 4,9 kg) de futsal foram submetidos ao FISP e a PSF. A frequência cardíaca (FC) e percepção subjetiva de esforço (PSE) foram coletados durante, e amostras de sangue (análise de creatina quinase – CK; Fator de Necrose Tumoral – α - TNF-α; Interleucina – 6 - IL-6; Produtos da oxidação avançada de proteína – AOPP; e Proteínas carboniladas - PC), teste de salto vertical com contramovimento (SVC) e a percepção de dor muscular foram coletadas antes (pré), após (pós) e 24 horas após o FISP e a PSF. No experimento 2, dez jogadores (23,5 ± 7,8 anos, 174,3 ± 6,1 cm e 69,1 ± 3,8 kg) foram submetidos ao FISP em 2 momentos distintos, com aplicação do LED ou do placebo após o FISP, em um delineamento do tipo crossover. A FC e a concentração de lactato sanguínea foram monitorados durante o FISP, e amostras de sangue (análise de CK, TNF-α, IL-6 e AOPP), o SVC e a dor muscular foram coletadas pré, pós e 24 horas do FISP. No experimento 3, quinze jogadores (16,5 ± 0,5 anos, 174,0 ± 5,4 cm e 66,4 ± 5,6 kg) foram submetidos ao FISP por 3 dias consecutivos, e o LED ou placebo foram realizados diariamente, antes do FISP. A FC e a PSE foram monitoradas durante o FISP, amostras de sangue (análise de TNF-α, IL-6) e o SVC foram coletados nos dias 1 e 4, e a dor muscular percebida e a percepção de recuperação diariamente. A FC reportada no FISP (169,1 ± 7,9 beats.min-1) foi semelhante da PSF (172,0 ± 4,9 beats.min-1; P > 0,05). A PSE foi maior no FISP comparado com a PSF (P < 0,05). Com comportamento semelhante, o SVC diminuiu após e 24 horas após o FISP e a PSF (≈ 5%), mas nenhum marcador de DMIE aumentou após as duas situações (P > 0,05). A terapia com LED não atenuou a queda do desempenho e não modificou nenhum marcador de DMIE (P > 0,05). Conclui-se que o FISP é um protocolo de exercício que pode ser utilizado para simular a distância percorrida, as respostas fisiológicas e o desgaste físico de partidas de futsal. O desempenho físico de jogadores permanece reduzido por até 24 horas após uma partida, mas não se relaciona com o DMIE. A terapia com LED não foi eficiente para atenuar a redução do desempenho físico, a dor percebida ou a percepção de recuperação reportada após partidas simuladas de futsal.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000211761

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.