Efeito do Exercício Físico e do Análogo de GLP-1 no Peso Corporal e Metabolismo Glicídico de Ratos Wistar Obesos

Por: A. C. Ghezzi, A. G. Oliveira, C. G. B. Silva, J. F. Vecina, J. P. Leite e M. J. A. Saad.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

Devido a crescente incidência de diabetes tipo 2 pesquisas tem sido realizadas para que medidas terapêuticas surjam, um caminho promissor são as incretina (transmissores endócrinos de liberação de insulina GLP-1 e GIP), medicamentos como análogos do GLP-1 tem sido usado para o tratamento do diabetes. O exercício físico também é utilizado para o tratamento da diabetes, mas o que não é claro é se existe efeito somatório entre exercício e o tratamento com análogo de GLP-1, diante disso o objetivo do trabalho é analisar o efeito do exercício e do análogo de GLP-1 no metabolismo glicêmico de ratos obesos. Foram utilizados ratos Wistar com 6 semanas, divididos em grupo (CTL) animais alimentados com dieta padrão e (DH) animais alimentados com dieta hiperlipídica (DH), após 12 semanas em DH esse grupo foi dividido novamente (VEIC-S) animais alimentados com DH que receberam solução veículo e sedentários (VEIC-T) animais alimentados com DH que receberam solução veículo e treinados (GLP-S) animais alimentados com DH, que receberam liraglutide e sedentários (GLP-T) animais alimentados com DH, que receberam liraglutide e treinados. Os animais dos grupos treinado nadaram 1 hora por dia, 5 dias por semana, por 15 dias. Foi administrado análogo de GLP-1, via subcutânea (Liraglutide, 100 μg/Kg), 2 vezes ao dia (9 hs e 16 hs) por 15 dias e os grupos VEIC receberam solução veículo. O peso corporal foi registrado em balança digital ao final do experimento. Após 6 horas em jejum os animais receberam solução de Insulina intraperitoneal (1,5U/Kg de peso corporal) amostras de sangue foram coletadas pela cauda nos tempos 0, 5, 10, 15, 20, 25 e 30 min para determinação da glicose sérica. A velocidade constante do decaimento da glicose (Kitt) foi calculada pela fórmula 0,693/t1/2. O teste de tolerância à glicose intraperitoneal foi realizado em jejum de 6 horas. Após coletar sangue (tempo 0), uma solução de 20% de glicose foi administrada, amostras de sangue foram coletadas em 30, 60, 90 e 120 min para determinação da glicemia (Glicosímetro). Foi constatada diferença significativa no Peso Corporal (g): CTL-S: 479±19x; VEIC-S: 560±55y; VEIC-T: 540±20y; GLPS: 519±60y; GLP-T: 520±33y. Na Área sob a curva de Glicose (mg/dl120min): Animais CTL-S: 13246±1297e; VEIC-S: 18604±1249f; VEIC-T: 16353±1468g; GLP-S: 12495±948e; GLP-T: 12429±1236e bem como no KITT (%/min): CTL-S: 3,67±0,52a; VEIC-S: 2,91±0,44b; VEIC-T: 3,36±1,06a; GLPS: 3,54±0,74a; GLP-T: 4,10±0,60d. O análogo de GLP-1 e o exercício físico não tiveram efeito no peso corporal, mas foi eficiente na melhora do metabolismo de glicose dos animais obesos e o exercício físico por sua vez parece ter efeito aditivo nessa melhora.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.