Efeito do Treinamento Aeróbio e Concorrente no Perfil Lipídico de Adolescentes Obesos com e Sem Esteatose Hepática

Por: B. T. C. Saraiva, C. C. Brunholi, C. C. Santos, D. K. Sonvenso, I. F. F. Júnior, J. S. Dias e P. A. Monteiro.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

Dentre as doenças associadas à obesidade estão a dislipidemia e a esteatose hepática(EH). A dislipidemia, caracterizada por suas alterações no perfil lipídico, está diretamente associada à EH, visto que uma das principais funções do fígado é o metabolismo de gordura. Como forma de tratamento não medicamentoso e prevenção indica-se a prática de exercício físico. O treinamento aeróbio(TA) é tradicionalmente o mais indicado, no entanto, outro modelo de treinamento, caracterizado como concorrente(TC), recentemente tem sido estudado por acreditar-se que ao combinar formas distintas de estímulos fisiológicos os resultados possam ser mais eficazes para o tratamento das alterações lipídicas, bem como da EH. Diante disto o objetivo desse estudo foi analisar o efeito do TA e TC no perfil lipídico de adolescentes com e sem EH. A amostra foi composta por 38 adolescentes divididos em três grupos (aeróbio[n=15], concorrente[n=13] e controle[n=10]) de 11 a 17 anos, de ambos os sexos e todos classificados como obesos por meio do índice de massa corporal. Foi realizado exame de sangue e a partir da coleta foram analisadas as variáveis bioquímicas de colesterol total(COL), triacilglicerol(TAG), lipoproteína de baixa densidade(LDL-c), lipoproteína de muito baixa densidade(VLDL) e lipoproteína de alta densidade(HDL-c) por meio da espectometria de luz, utilizando-se o kit da Labtest. Para diagnóstico da EH, foi realizado o ultrassom da região superior do abdômen por meio do equipamento da marca TOSHIBA, modelo Aplio. A intervenção foi composta pelo TA e TC, ambos tiveram a duração de 18 semanas. Os exercícios foram realizados 3 vezes por semana com uma hora e meia cada seção. O grupo controle não realizou nenhum treinamento durante 18 semanas. Foi realizado o teste t pareado para verificar a diferença entre o momento pré e pós-intervenção, seguido do teste ANOVA OneWay para verificar a diferença entre os grupos controle, TC e TA. As análises foram realizadas utilizando-se o Software SPSS versão 13.0 com p<5%. Após as 18 semanas os adolescentes sem EH que realizaram o treinamento aeróbio diminuíram as concentrações de COL(p=0,001), TAG(p=0,001), LDL(p=0,002) e VLDL(p=0,001), os que realizaram o treinamento concorrente não obtiveram alterações após a intervenção, já o grupo controle aumentou as concentrações de TAG (p=0,005) e VLDL(p=0,005). Os adolescentes com EH obtiveram diferença do momento pós-intervenção --quando comparado com o baseline apenas para o grupo que realizou o treinamento concorrente (COL[p=0,048], TAG[p=0,0001], LDL[p=0,042] e VLDL[p=0,0001]). Quando comparado o efeito da intervenção entre os grupos TC, TA e controle foi possível observar que as concentrações de VLDL(p=0,0001) e TAG(p=0,0001) diminuíram expressivamente apenas nos adolescentes sem EH que realizaram o treinamento aeróbio ou o concorrente. De acordo com os resultados é possível concluir que o TA e TC foram eficazes para melhorar o perfil lipídico dos adolescentes sem EH.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.