Efeito do Treinamento na Capacidade de Sprints Repetidos em Atletas de Basquete: Respostas Individuais ou da Equipe?

Por: Alexandre Lopes Evangelista, , Carolina Bergamasco de Aguiar, Charles Ricardo Lopes, Gustavo Ribeiro da Mota e .

Revista da Educação Física - UEM - v.29 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

O objetivo foi investigar o efeito crônico do treinamento de força e técnico-tático na capacidade de sprints repetidos (CSR) em atletas de basquete e posteriormente, comparar as respostas individuais com as da equipe. A amostra investigada foi constituída de 8 atletas de basquete adultas de nível estadual (21,5 ± 2,0 anos; 170 ± 4,2 cm; 68,0 ± 8,3 kg). O estudo foi conduzido no início e final de uma pré-temporada de 4 semanas (28 sessões de treinamento [16 técnico-táticos e 12 de força]). Foi avaliada a capacidade de sprints repetidos (CSR) pelo RAST teste calculando-se o melhor tempo de sprint (CSRmelhor) e tempo médio dos sprints (CSRmédia). Não foram encontradas diferenças entre pré e pós treinamento na CSRmelhor (p = 0.146; d = -0.78, 90% CI [0.90]) e CSRmédia (p = 0.220; d = -0.58, 90% CI [0.81]). 2 atletas apresentaram piora em CSRmelhor, 2 melhoria moderada, 1 grande e 3 sujeitos muito grande. Na CSRmédia 2 apresentaram piora, 1 melhoria moderada, 4 melhoria grande e 1 melhoria muito grande. Conclui-se que a média da equipe feminina de basquete analisada não apresentou melhoria significativa na CSR, porém, quando as atletas foram analisadas individualmente, 75% das mesmas foram responsivas a intervenção proposta. 

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/38394

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.