Efeito do Treinamento Resistido no Desempenho Físico e Capacidade Funcional Respiratória de Mulheres Idosas

Por: Dirceu Costa, Evelim Leal de Freitas Dantas Gomes, Evitom Corrêa de Sousa, Renato da Costa Teixeira e .

Revista da Educação Física - UEM - v.29 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

No processo de envelhecimento, entre outras perdas funcionais, ocorrem reduções no desempenho físico e capacidade funcional respiratória. Sabe-se que o treinamento resistido (TR) é eficaz sobre no volume e força dos músculos esqueléticos, contudo, pouco se sabe sobre a influência do TR em variáveis respiratórias. Objetivo: comparar as pressões inspiratórias e expiratórias máximas (PImáx; PEmáx), as amplitudes Axilar (AAx), Xifoideana (AXi) e, Abdominal (AAb), o Peak-Flow e o desempenho no Incremental Shuttle Walk Test (ISWT) de idosas praticantes de um programa de TR, com os de idosas não treinadas. Métodos:  Avaliadas 53 mulheres idosas, idade de 66±5,2 anos, sendo 28 participantes de um projeto de extensão da Universidade do Estado do Pará, com mínimo de seis meses de matrícula em um programa de TR, que compuseram o grupo de treinadas (GT) e, 25 voluntárias que compuseram o grupo de não treinadas (GNT). As avaliações constaram de medidas de PImáx, PEmáx, AAx, AXi, AAb, Peak-Flow e de desempenho no ISWT. Resultados: Constataram-se diferenças significativas, com valores favoráveis ao GT em todas as variáveis avaliadas, exceto AAb. Conclusão: Mulheres idosas do GT obtiveram diferenças favoráveis e significativas na PImáx, PEmáx, AAx, AXi,  Peak-Flow e ISWT, quando comparadas com mulheres idosas do GNT.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/36350

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.