Efeito de Dois Meses de Aula de Educação Física Sobre o Aspecto Motor e Pressão Arterial de Escolares de Juazeiro-ba

Por: Alexsandro Machado, Carmen Sílvia Grubert Campbell, Fernando Oliveira Carvalho, José Fernando Vila Nova de Moraes, Manoel Pafonsio Andrade Junior, Marcos Vinicius Oliveira Carneiro e Orlando Laitano.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.21 - n.3 - 2013

Send to Kindle


Resumo

Os programas de educação física em escolas, em suas diversas variações, é uma parte importante do processo geral de educação e devem ser incentivados para desenvolver e/ou manter bons níveis de atividade física, além de influenciar do desenvolvimento motor dos alunos. Diante disso, o objetivo do estudo foi observar o efeito de dois meses de aula de educação física sobre o aspecto motor de escolares. Fizeram parte do estudo 43 estudantes de uma escola pública de Juazeiro-BA, sendo 18 meninos e 25 meninas. As medidas antropométricas avaliadas foram: massa corporal e estatura, para o cálculo do IMC (Índice de massa corporal). A circunferência de cintura (CC) foi obtida adotando como ponto de corte o percentil 50 da amostra. O percentual de gordura (G) foi determinado pelo somatório das dobras cutâneas tríceps e subescapular. A pressão arterial (PA) foi mensurada pelo método auscultatório. Os testes motores utilizados seguiram os procedimentos de Gaya Silva (2007). Na comparação dos resultados entre os sexos, somente o teste de sentar e alcançar sem banco (SA s/b) não apresentou diferença estatisticamente significativa entre os testes motores nos momentos pré e pós dois meses de aula. Já em relação aos momentos pré e pós dois meses de aula de cada sexo, houve um declínio significativo nos resultados dos testes de agilidade (p

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/3154

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.