Efeito de Dois Programas de Treinamento (aeróbico e ,força) Associado à Dieta de Baixo índice Glicêmico, na ,composição Corporal, nos Níveis Séricos de Igf-1 e de ,lipoproteínas de Praticantes de Hidroginástica.

Por: Alexandre da Gama Moreira Silva.

191 páginas. 2008

Send to Kindle


Resumo

Este estudo teve como objetivo comparar os efeitos dos treinamentos aeróbico e de força, associados à dieta de baixo índice glicêmico, nos níveis séricos de IGF-1 e lipoproteínas de praticantes de hidroginástica, com idades > 50 anos. Metodologia: A amostra foi composta por 62 mulheres praticantes de hidroginástica com idades entre 50 e 70 anos, divididas em quatro grupos: grupo experimental 1 GE1 (n=28), grupo experimental GE2 (n=14), grupo experimental 3 G3 (n=12) e grupo controle GC (n=8). As atividades foram realizadas três vezes por semana, com duração de 50 minutos. As variáveis antropométricas incluídas: percentual de gordura (%G), IMC e circunferência de cintura (CC), foram mensuradas antes e depois dos programas de treinamento. As variáveis sorológicas incluídas: dosagens de IGF-1, lipoproteínas, glicose e insulina, onde também foram mensuradas antes e depois do treinamento. A estatística descritiva empregada na amostra foi média, desvio padrão, máximo e mínimo, além do coeficiente de variação. Na estatística inferencial foi usado o teste de dispersão de Kolmogorov-Smirnov, para avaliar a normalidade das variáveis do estudo. Mesmo para aquelas variáveis (somente três delas) que não se distribuíram normalmente, empregamos as técnicas paramétricas, segundo o teorema do limite central. Utilizou-se, ainda, o teste t de Student pareado para avaliar as possíveis alterações nos valores médios das variáveis experimentais tomados nos dois estratos temporais. Utilizou-se, também, a Análise de Variância one-way combinado ao teste Post Hoc de Bonferroni para comparação transversal inter grupos nos dois estratos temporais, O nível de significância estatística considerado foi p < 0,05. Resultados: Pode-se comprovar que o grupo treinamento aeróbico apresentou um aumento significativo no (VO2 máx), o que representa uma melhora no condicionamento cardiovascular e a capacidade corporal de transportar e utilizar oxigênio. Em relação ao grupo de treinamento de força, foram encontradas diferenças significativas entre os resultados dos testes aplicados, denotando um aumento importante desta valência física, sendo importante para o controle da sarcopenia nessa faixa etária. Conclusão: Tanto o treinamento aeróbico como o de força, aliados a dieta de baixo índice glicêmico, promoveram maior redução nas variáveis antropométricas, quando comparados somente com a orientação nutricional.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=2500&listaDetalhes%5B%5D=2500&processar=Processar

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.