Efeito da Fadiga Muscular Local na Sensação de Posição do Joelho em Idosos

Por: Fernando Manuel Tavares da Silva Ribeiro e José Oliveira.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução: A coordenação é um dos componentes da capacidade funcional que
diminui com o processo de envelhecimento, em parte devido à deterioração da
propriocepção. A propriocepção pode também ser alterada pela fadiga física e mental.
Que seja do nosso conhecimento não existem estudos avaliando os efeitos da fadiga
local na propriocepção em indivíduos idosos. Constitui-se como objectivo deste
estudo a descrição dos efeitos do exercício local indutor de fadiga na sensação de
posição articular (SPA) do joelho em indivíduos idosos. Material e Métodos:A SPA
foi avaliada em repouso e após a execução de um protocolo indutor de fadiga local
nos músculos flexores e extensores do joelho. Foram recrutados para o estudo 16
voluntários do sexo masculino (média de idade±desvio padrão: 69,81±3,92anos).
A SPA foi avaliada em cadeia cinética aberta, através do reposicionamento activo
ipsilateral de uma posição passivamente determinada.A posição alvo e as 5 tentativas
de reposicionamento foram gravadas com uma câmara de vídeo. Posteriormente,
os valores angulares das posições alvo e de reposicionamento foram determinadas
através da análise computorizada de imagens gravadas em vídeo usando o Ariel
Performance Analysis System software (Ariel Dynamics, CA:USA). A SPA foi
reportada usando 3 medidas: o erro angular absoluto (EAA - definido com a diferença
absoluta entre a posição alvo e a posição de reposicionamento), erro angular relativo
(EAR - definido como a diferença aritmética entre a posição alvo e posição de
resposta) e erro angular variável (definido como o desvio padrão da média do erro
absoluto).O protocolo indutor de fadiga local consistiu na realização de 30 contracções
concêntricas máximas dos flexores e extensores do joelho no dinamómetro
isocinético (Biodex System 2) a uma velocidade angular de 120.s-1 (2.09rad.s-1).
Resultados:O torque máximo dos músculos do joelho diminuiu significativamente
entre a avaliação em repouso (flexores: 41,21±18,94Nm; extensores:
96,99±30,51Nm) e em fadiga (flexores:31,80±14,61Nm; extensores:
66,47±18,22Nm). Após o protocolo de exercício o EAA aumentou
significativamente (2,56º); o viés direccional no sentido do movimento de extensão
foi exacerbado (EAR aumentou 3,03º); no entanto, a fiabilidade e acuidade para
estimar os ângulos do joelho é similar nos dois momentos, sendo os valores do erro
variável idênticos. Conclusões:Este estudo revelou que o exercício indutor de fadiga
muscular altera significativamente a SPA em idosos.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/62_Anais_p235.pdf

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.