Efeito da Fadiga Muscular Sobre o Controle Postural Durante o Movimento do Passe em Atletas de Futebol

Por: Bruno Manfredini Baroni, Ernesto Cesar Pinto Leal Junior, Marco Aurélio Vaz, Matheus Joner Wiest e Rafael Abeche Generosi.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.13 - n.5 - 2011

Send to Kindle


Resumo

A fadiga muscular é caracterizada pela incapacidade na geração ou manutenção de um nível de força, afetando negativamente o desempenho esportivo. Dentre as conseqüências funcionais da fadiga encontra-se o decréscimo do controle postural estático e dinâmico. O objetivo do estudo foi verificar o efeito da fadiga muscular induzida por exercício de alta intensidade sobre a estabilidade postural dinâmica de atletas de futebol, durante o gesto motor característico do esporte: o passe. Participaram do estudo 27 atletas de futebol do sexo masculino, entre 14 e 16 anos, que executaram o movimento do passe sobre uma plataforma estabilométrica antes e após a realização de um protocolo de exercício de intensidade máxima em ciclo-ergômetro. Após o protocolo de fadiga, os atletas apresentaram aumento de 31% na velocidade média de deslocamento do centro de pressão. Além disso, apesar de a diferença na amplitude de deslocamento do centro de pressão no sentido médio-lateral (15%) não ser significante, houve um significativo aumento de 22% no deslocamento ântero-posterior. Conclui-se que a fadiga muscular é capaz de promover decréscimo da estabilidade postural de jogadores de futebol durante o gesto motor do passe, o que provavelmente prejudica o desempenho esportivo dos atletas.


 

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2011v13n5p348

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.