Efeito da Idade Cronológica e Biológica Sobre Variáveis Preditoras de Desempenho em Crianças e Adolescentes Nadadores

Por: Paulo Victor Mezzaroba.

2011 09/09/2011

Send to Kindle


Resumo

As respostas fisiológicas e adaptativas de crianças e adolescentes às sobrecargas físicas são diferentes daquelas observadas em adultos ou até mesmo entre jovens de diferentes idades cronológicas ou níveis maturacionais. Conhecer e identificar as peculiaridades dessa população em índices que possam auxiliar na prescrição e controle de treinamento é de fundamental importância para melhor adequação da sobrecarga de treinamento e controle dos seus efeitos. O objetivo do presente estudo foi verificar a influência da idade cronológica e biológica nos índices preditores de desempenho de crianças e adolescentes nadadores. Participaram do estudo 46 nadadores com idade cronológica entre 10 e 16 anos, divididos de acordo com a idade biológica (GB) e cronológica (GC) em quatro subgrupos (GB1 e GB2; GC1 e GC2). Foram aferidas medidas antropométricas e parte da amostra (n=17) foi submetida à avaliação de absortometria de raio-X de dupla energia (DEXA). Foram realizadas performances máximas de 100m, 200m e 400m para determinação do parâmetro aeróbio: velocidade crítica (VC) e anaeróbio: capacidade de trabalho anaeróbio (CTAn) com diferentes combinações de distâncias, os sujeitos também realizaram o protocolo progressivo para determinação da velocidade referente à ocorrência do lactato mínimo (VLacmín). Em todas as performances (diferentes distância e velocidades) foram determinados os índices técnicos: freqüência de ciclo de braçada (FBr), distância percorrida por ciclo de braçada (DBr) e índice de braçada (IBr). Os resultados foram comparados entre os subgrupos biológicos e cronológicos, verificando-se relação entre os parâmetros aeróbios, anaeróbio, mecânico, antropométrico e de composição corporal com a performance. Foi verificada a relação entre VLacmín e as VC formadas por diferentes combinações de distâncias e comparados os índices técnicos determinados por diferentes distâncias e velocidades. Variáveis antropométricas, de composição corporal, parâmetros aeróbios e índices técnicos demonstraram ser bons preditores da performance em crianças e adolescentes. Para os meninos a melhora da aperformance na natação parece estar relacionada ao aumento de massa muscular (GB1 e GB2). Apesar das combinações de VC apresentarem boas relações com a performance e com a VLacmín, é sugerido a inclusão da performance de 400m no modelo. Os índices técnicos, em especial a DBr em GB1 e GC1 e o IBr responderam de maneira diferente na alteração da distância e velocidade de performance, evidenciando os ajustes mecânicos específicos de crianças e adolescentes. Sendo assim, os resultados do presente estudo evidenciam que a divisão de grupos pela idade biológica torna mais possível a identificação de aspectos específicos de crianças e adolescentes, influenciados pelo processo maturacional, também se verifica a possibilidade da utilização da VC determinada por duas distâncias (100 e 400m) como parâmetro simples e eficaz na determinação da capacidade aeróbia, além do controle dos índices técnicos durante o crescimento e desenvolvimento para obtenção da ótima combinação entre FBr e DBr em diferentes distâncias de performance.

Endereço: http://nou-rau.uem.br/nou-rau/document/?code=vtls000191296

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.