Efeito do Período de Interrupção de Atividades Aquáticas na Aptidão Funcional de Idosas

Por: Aline Huber da Silva, Cristina Brust, e Michelle Flores da Rosa.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.10 - n.3 - 2008

Send to Kindle


Resumo

Esse estudo teve como objetivo verificar a influência do período de interrupção de 12 semanas na aptidão funcional de mulheres idosas, praticantes de atividades aquáticas. A amostra foi composta por 31 idosas, com x _ = 68,97 anos (DP = 5,34), praticantes de atividades aquáticas, que fizeram os testes da Bateria da American Alliance for Health, Physical Education, Recreation and Dance – AAHPERD, em novembro de 2005 e após 12 semanas de interrupção (março de 2006). Os resultados dos testes foram comparados com os valores normativos para essa bateria. O tratamento estatístico foi descritivo, mediante a freqüência simples e percentagem, e o teste t para amostras emparelhadas/pareadas, com nível de significância de 5%. Observou-se diferença estatisticamente significativa entre os valores médios de coordenação, agilidade e do índice de aptidão funcional geral (IAFG) entre o final do programa e após o período de interrupção. Ocorreu uma diminuição no resultado do IAFG e da coordenação após o período de interrupção de 12 semanas, porém, a agilidade das participantes melhorou. Concluiu-se que o período de interrupção de 12 semanas de atividades aquáticas influencia o IAFG em idosas. Estes resultados reforçam a importância do exercício físico no processo de envelhecimento e da conscientização sobre as vantagens de se manterem ativos mesmo no período de férias para a melhora e/ou manutenção dos níveis da aptidão funcional das idosas.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2008v10n3p237

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.