Efeito de Quatro Semanas de Treinamento com Oclusão de Fluxo Sobre os índices de Aptidão Aeróbia, Composição Corporal e Força Muscular

Por: Rogério Bulhões Corvino.

2012

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar o efeito do treinamento realizado em cicloergômetro com oclusão parcial de fluxo sanguíneo das pernas sobre parâmetros relacionados à aptidão aeróbia, força muscular e composição corporal. Participaram deste estudo 11 indivíduos aparentemente saudáveis de ambos os gêneros, com idades entre 18 e 30 anos. Os indivíduos realizaram, antes e após um período de quatro semanas de treinamento: 1) testes progressivos até a exaustão para a determinação do limiar anaeróbio (LAn), consumo máximo de oxigênio (VO2max), e potência máxima (PMAX) em cicloergômetro. 2) testes de carga constante com 6 min de duração à 30% da PMAX e até a exaustão voluntária (Tlim) à 95 e 110% da PMAX para determinação da cinética do VO2 (Tau) em intensidade moderada (30%PMAX) e severa (110%PMAX), e Potência Crítica (PC) através da relação linear entre a potência e seu respectivo Tlim (95 e 110%PMAX). 3) testes para determinação da força máxima isométrica dos músculos extensores do joelho. 4) Mensuração das variáveis antropométricas. Durante o período de 4 semanas, o grupo experimental (n = 11) realizou um total de 12 sessões de treinamento aeróbio de baixa intensidade (30%PMAX) com oclusão de fluxo sanguíneo em ambas as pernas. Os parâmetros LAn (PRÉ 160±52; PÓS 177±57 W), PMAX (PRÉ 246 ±48; PÓS 269±57 W), Tau30% (PRÉ 22,9±8; PÓS 18,4±5 s), Tau110% (PRÉ 43,3±19; PÓS 31,9±12 s), PC (PRÉ 180±52; PÓS 199±46 W), e força máxima isométrica (PRÉ 289±62; PÓS 318±56 N.m-1) foram significativamente aumentados após o treinamento. Para os valores de VO2max (PRÉ 3242±707 ; PÓS 3329±732 ml/min), e VO2 à 30%PMAX (PRÉ 1296±187; PÓS 1317±220 ml/min) e variáveis antropométricas não foram observadas diferenças significativas após o treinamento. Podemos concluir que quatro semanas de treinamento em bicicleta ergométrica com oclusão de fluxo foi capaz de gerar adaptações em parâmetros aeróbios e neuromusculares em sujeitos ativos em proporções similares a outros métodos tradicionais de treinamento. Além disso, a ausência de efeito sobre o VO2max e as melhoras observadas sobre a capacidade aeróbia e cinética do VO2 sugerem que as principais adaptações causadas por esse tipo de treinamento devem ter sido mais periféricas do que centrais.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.