Efeito da Restrição do Membro Inferior Não-afetado e a Altura do Assento Sobre o Desempenho Motor de Hemiparéticos Durante o Movimento de Sentado Para de Pé

Por: André de Souza Rocha.

2009

Send to Kindle


Resumo

A hemiparesia após um Acidente Vascular Encefálico (AVE) compromete a capacidade de usar a extremidade inferior acometida durante transição de sentado para de pé (ST-DP), afetando o desempenho funcional. Este estudo investigou, em indivíduos hemiparéticos, o efeito combinado da restrição do membro inferior não-afetado (MINA) apoiado em um step e da altura do assento, sobre a transferência de peso para o membro inferior afetado (MIAF) e redução da assimetria durante o movimento ST-DP. Foram selecionados 13 indivíduos adultos (60,4 ± 5,7 anos), de ambos os sexos, com seqüela de hemiparesia devido a AVE na fase crônica (43,7 ± 50 meses) e comprometimento de leve a moderado na Escala de Fugl-Meyer (24,7 ± 4,9 pontos). Os participantes realizaram avaliações clínicas e biomecânicas através de análise cinética e cinemática do movimento de interesse. Os indivíduos levantaram de um banco instrumentado a partir de duas alturas de assento, 100% (normal) e 130% (elevada) da altura do joelho (AJ), e em 4 condições dos pés: (1) espontânea (ESP); (2) simétrica, SIM; (3) assimétrica (ASS) - membro não-afetado à frente; e (4) step (STP) - membro não-afetado apoiado em um step. Plataformas de força e sistema de cinemetria foram empregados respectivamente para análise da componente vertical (Fz) da força de reação do solo e do comportamento cinemático resultantes do movimento. Os resultados mostraram uma diminuição significativa da assimetria na condição step em relação as posições ESP (p < 0,001), SIM (p <0,001) e ASS (p =0,023), influenciando positivamente os ângulos de quadril, joelho e tornozelo para valores mais próximos dos normais. Com a elevação da altura do assento à 130%AJ foi observada uma redução significativa do tempo de movimento e deslocamento anterior do tronco (p < 0,001para ambos). A restrição do MINAF pelo step mostrou-se eficiente na diminuição da assimetria durante o ST-DP e pode ser um recurso terapêutico utilizado na reversão do desuso aprendido. Elevar a altura do assento diminuiu as demandas de tempo e deslocamentos do tronco, facilitando a aquisição da postura em pé mesmo com o emprego do step. Sugere-se o uso da restrição como uma estratégia de treinamento visando reduzir a assimetria durante o ST-DP.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.