Efeito do Treinamento Resistido com Periodização Não Linear nos Níveis de Força e Cinética de Lactato em Homens e Mulheres Jovens

Por: Pedro Carlos de Albuquerque Nóbrega Junior.

III Congresso de Ciência do Desporto

Send to Kindle


Introdução: A prática do exercício resistido (ER) é um dos meios mais eficazes para se conseguir o aprimoramento no funcionamento das capacidades físicas humanas,

 Objetivo: Esta investigação analisou se o método de treinamento em ER durante oito semanas, periodizado e estruturado de forma não linear, provocou impacto diferenciado sobre o aumento de carga absoluta e relativa na força, além dos aspectos na cinética de lactato nos níveis de força apresentado ao longo desse período nos praticantes.

 Metodologia: Participaram doze indivíduos, sendo oito do sexo masculino com idade, peso e estatura media de (22,14 ± 2,61anos, 76,79 ± 1,59 kg, 1,75 ± 0,05 m) e quatro do sexo feminino (21,25 ± 2,87anos; 51,06 kg ± 0,58, 1,54 ± 0,06 m), treinados em exercícios resistidos no período mínimo de pelo menos seis meses. O estudo foi composto pela elaboração de um programa de treinamento com freqüência de três dias semanais, dividido em dois momentos em treino (A e B), com periodização não linear de oito semanas, onde ocorreu uma variação do volume e intensidade de 65% a 85 % de 1RM e foi utilizada uma progressão máxima de 5% a 10% por microciclo. Foram coletadas amostras sanguíneas para determinar o nível lactacidêmico de repouso e  óstreinamento em três fases distintas do programa no microciclo incorporação e ou regenerativo.

 Resultados: Os valores referentes a força absoluta nos exercícios membros superiores (EMSS) e inferiores (EMII) masculino no teste de 1RM pré e pós treinamento foram (36,33 ± 19,9kg e 44,47 ± 24,9kg; 66,93 ± 17,98kg e 90,50 ±26,25kg) e no feminino (16,92 ± 10,8kg e 21,25 ± 13,8kg; 46,93 ± 14,50kg e 61,87 ± 25,57kg). Em ganhos relativos ao valores foram o seguinte o seguinte ( 20,36 ± 6,9% e 34,67 ± 5,8%; 23,91 ± 11,6% e 28,44 ± 17,6%). Para os valores de lactato em repouso e pós-treinamento nas três diferentes fases de acordo com a tabela abaixo.

 Conclusão: A variação planejada no volume e na intensidade do treinamento mostrou-se extremamente importante para ganhos ótimos e contínuos na força reforçando o modelo de periodização não linear como sendo uma orientação adequada no processo de desenvolvimento do treino. Tabela 1 - Valores de lactato pré e pós-treino resistido em diferentes etapas do programa de treino. Rp 1 Pt 1 Rp 2 Pt 2 Rp 3 Pt 3 Homens (n=8) 1,72 ± 0,85 4,06 ± 1,30 1,97 ± 1,02 4,25 ± 1,47 1,45 ± 0,55 3,84 ± 2,20

Mulheres (n= 4) 1,33 ± 0,36 3,14 ± 1,40 1,44 ± 0,84 3,59 ± 1,63 1,28 ± 0,51 3,36 ± 1,77

  Obs: Valores em mmol/l, Rp = Repouso, Pt = Pós-treino

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.