Efeitos da Aplicação da Epap Sobre a Tolerância Ao Esforço em Indivíduos Portadores de Insuficiência Cardíaca

Por: Claudia Thofehrn.

2012

Send to Kindle


Resumo

Pacientes portadores de Insuficiência Cardíaca (IC) frequentemente são limitados pela dispnéia e fadiga, muitas vezes agravadas pela congestão pulmonar presentes nesta síndrome. A eficácia da Pressão Positiva Expiratória nas Vias Aéreas (EPAP) já foi testada em diversas populações, como em pós-operatório de cirurgia de revascularização miocárdica, doença pulmonar obstrutiva crônica estável e apneia obstrutiva do sono, proporcionando efeitos como a variação na pressão intra-alveolar, aumento da capacidade residual funcional, redistribuição do líquido extravascular e diminuição do shunt intrapulmonar. Na tentativa de reduzir a dispnéia e o trabalho ventilatório em portadores de IC o uso da EPAP é uma alternativa terapêutica, tendo em vista seus efeitos benéficos e considerando que as alterações na função pulmonar estão relacionadas à edema pulmonar. O objetivo desta pesquisa foi avaliar os efeitos da utilização da EPAP sobre a tolerância ao esforço em indivíduos portadores de IC, classe funcional II e III (NYHA). Para a amostra, foram selecionados 28 pacientes com FEVE < 40%, os quais realizaram três testes de caminhada de 6 minutos (TC6’): aprendizado, com uso da EPAP e sem uso da mesma. Para gerar a pressão positiva expiratória, adaptou-se à uma máscara um resistor expiratório por carga de mola ajustado para oferecer uma pressão de 8 cmH2O. A comparação entre os dados obtidos foi realizada por meio de teste t pareado ou teste de Wilcoxon, conforme a normalidade dos dados. Como resultado, verificou-se que o uso da EPAP aumentou sem significância o volume minuto, porém a percepção de esforço foi maior após o TC6’ que associou o uso da pressão positiva. Com relação à saturação de oxigênio, o uso da EPAP no TC6’ elevou a mesma significativamente, apesar das saturações basais encontrarem-se dentro de parâmetros normais antes da realização do teste. Concluiu-se que o uso da EPAP não promoveu aumento na tolerância ao esforço em indivíduos portadores de IC no TC6’, porém, há a necessidade de estudos adicionais que testem níveis diferentes da mesma no treinamento a longo prazo e/ou analisem pacientes com graus de descompensação clínica mais acentuada.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.