Efeitos da Atividade Física com Música Sobre Estados Subjetivos de Idosos

Por: .

190 páginas. 2001

Send to Kindle


Resumo

Três experimentos avaliaram, através de medidas objetivas e relatos verbais, a influência da música sobre o bem-estar subjetivo de idosos durante atividades ,aeróbias. Os sujeitos (de 60 a 84 anos de idade) foram 100 participantes de programas de atividade física para idosos. O Experimento I selecionou, utilizando uma escala de classificação, trechos de músicas "agradáveis" e "desagradáveis". O Experimento II submeteu cada um de três grupos de idosos a atividade física sob uma das seguintes condições: 1) música agradável-G1; 2) música desagradável-G2 e 3) sem música-G3. Medidas de Eficácia (PPA-Rickman et al,1982), Experiências Subjetivas ao Exercício (SEES-McCauley al, 1994) e Percepção de Esforço (RPEBorg, 1980) foram obtidas antes, durante e/ou após os exercícios. Os dados foram analisados através de MANOVA, ANOVA para Dados Repetidos e Análise de Regressão Múltipla. Apesar de que as diferenças entre músicas agradáveis e desagradáveis não foram efetivas, os resultados corroboraram a teoria de quedurante atividade física, a música pode desviar o foco de atenção, diminuindo as percepções internas desagradáveis. Entrevistas semi-estruturadas do Experimento III indicaram que a música é percebida como facilitando a execução, tornando o esforço físico menor e mais agradável. Isto foi interpretado como resultante de um estado de envolvimento e absorção total (flow) (Csikszentmihali, 1999), modulado pela ,música.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=2621&listaDetalhes%5B%5D=2621&processar=Processar

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.