Efeitos da Atividade Física em Paciente Diabético Mellitus do Tipo II

Por: .

182 páginas. 1999 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

O Diabete Mellitus acomete 7,6% da população brasileira entre 30 e 69 anos (VIVOLO, 1996). A prática de atividade física é frequentemente recomendada no tratamento do Diabetes Mellitus (TSUI & ZINMAN, 1995). No paciente não insulino-dependente, Tipo II (DMNID), a atividade física propicia melhora em vários aspectos relacionados a sua fisiopatogênese decorrentes da resistência insulínica, sendo portanto um importante fator no tratamento juntamente com dieta e/ou terapêutica medicamentosa indicada. Demonstrada por diversos estudos clínicos multicêntricos, a prevenção das complicações pode ser eficazmente obtida através do bom controle metabólico do paciente. O objetivo do estudo é estabelecer normas e procedimentos para elaboração de subsídios à implementação de um programa de atividades físicas. A estratégia proposta para a melhoria das condições de saúde deste paciente é possível, especialmente, pela educação dos diabéticos por equipes multidisciplinares, constituídas por médicos, nutricionistas e professores de educação física. Permitindo de uma forma eficaz a redução ou mesmo evitar a incidência das complicações crônicas do diabetes e das alterações metabólicas que necessitam de intervenção emergencial, bem como uma melhora do bem estar e da qualidade de vida do paciente. Através da identificação e conhecimento do problema, proporcionando segurança e confiança, contribuindo para uma vida mais sadia, confiante, produtiva, feliz e de menor risco.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=1189&listaDetalhes%5B%5D=1189&processar=Processar

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.