Efeitos da Atividade Física Regular Sobre Parâmetros Antropométricos e Funcionais de Mulheres Jovens e Idosas

Por: Gustavo Puggina Rogatto e .

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.3 - n.1 - 2001

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo teve como objetivo verificar os níveis de força e a área muscular do braço (AMB) de mulheres jovens e idosas praticantes de atividade física regular. Para isso foram selecionados 30 sujeitos do sexo feminino, distribuídos em dois grupos: jovem (G1) e idoso (G2). Avaliou-se a força voluntária máxima dos músculos flexores do cotovelo pelo teste de 1RM (repetição máxima) exercício “rosca unilateral”) , e a AMB, através das medidas de circunferência de braço (CB) e dobra cutânea tricipital (DCTr), que posteriormente foram incluídas na equação proposta por Frisancho (1984): AMB (cm) = [(CB - pDCTr)2 / 4p] - 6.5, em ambos os membros dominante (MD) e não dominante (MND). Os valores de força (em kg) e AMB (em cm2) foram analisados por ANOVA com nível de significância pré-estabelecido em 5%. O nível de força do G2 foi significativamente (p<0,01) menor que G1, tanto no MD quanto no MND. Em relação à AMB, o MND de G2 mostrou-se maior que G1, o que não ocorreu com o MD. A partir da análise dos resultados, concluiu-se que apesar do envelhecimento, a prática regular de atividade física pode prevenir a perda de massa muscular (MM). Contudo, a capacidade para gerar força parece diminuir com o avanço da idade, ou seja, para a mesma quantidade de MM, o idoso apresenta menores níveis de força voluntária máxima.


 

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/3992

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.