Efeitos da Administração Crônica da Digoxina e do Verapamil Sobre o Desempenho Físico e a Estrutura e Função Cardíaca em Ratos Submetidos Ao Treinamento Físico Intervalado

Por: Claodete Hasselstrom Neve.

79 páginas. 2015 06/03/2015

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos da administração crônica de digoxina e do verapamil durante treinamento físico intervalado de alta intensidade (TFI) sobre o desempenho físico, capacidade funcional e morfologia cardíaca de ratos. Para tanto, 48 ratos Wistar, com 60 dias de idade, foram aleatoriamente distribuídos em 6 grupos(N=8/grupo): controle, não treinado (C), treinado, sem administração de droga (T), digoxina sem treinamento (DIGO), verapamil sem treinamento (VERA), treinado, com administração de digoxina (TDIGO) e treinado, com administração de verapamil (TVERA). A digoxina e o verapamil foram administrados via gavagem, na dose de 30?g/kg/dia e 5,0 mg/kg/dia respectivamente, durante todo o período experimental. Os grupos T, TDIGO e TVERA foram submetidos a um programa de TFI em esteira rolante durante 60 dias. Foi aplicado o teste de esforço progressivo máximo (TEM) e determinada a concentração sérica de lactato (LAC) sanguíneo. O TFI consistiu de sessões de corrida em esteira rolante 1 h/dia, 5 dias/semana por 60 dias. A intensidade de treino foi 80% da velocidade máxima (Vmáx) atingida no teste de esforço antes do TFI por 8 min e 20% da Vmáx por 2 min. A função cardíaca foi avaliada por ecocardiograma. Foi coletado o músculo esquelético, o músculo cardíaco e a gordura corporal total (GOR) para os dados anatômicos, o ventrículo esquerdo (VE) para análise histológica e o sangue para a análise bioquímica. A comparação entre os grupos foi realizada por meio da análise de variância (ANOVA) e Kruskal Wallis para o esquema de dois fatores independentes, complementada com o teste de Bonferroni, Tukey ou Dunn. O índice de significância considerado foi de 5%. A relação VE/peso corporal final (PCF), o diâmetro diastólico do VE (DDVE) e diâmetro sistólico do VE (DSVE) foram maiores no grupo TDIGO do que o grupo T e DIGO. Os parâmetros do TEM foram maiores e a concentração de LAC foi menor em ratos treinados em relação aos não treinados. A relação GOR/PCF foi menor no TDIGO e TVERA em relação ao DIGO e VERA, respectivamente. A relação VE/PCF foi maior no TVERA em relação ao VERA. O diâmetro interno do VE (DIVE) do grupo T, TDIGO e TVERA foram maiores em relação ao C, o TDIGO teve aumento em relação ao DIGO. O colesterol total e o LDL foram maiores no TDIGO comparado ao DIGO. A área do cardiomiócito foi maior nos grupos VERA e T comparados ao grupo C. Conclusão: O Treinamento intervalado promoveu hipertrofia cardíaca do tipo excêntrica. Entretanto, a administração concomitante de digoxina ou de verapamil não afetaram a morfologia cardíaca, a função cardíaca e o desempenho físico em ratos submetidos ao treinamento.

Endereço: http://www.ufmt.br/ufmt/unidade/index.php/publicacoes/index/ppgef

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.