Efeitos de Três Programas de Treinamento Sobre Variáveis Motoras de Escolares Praticantes de Futsal

Por: Ricardo Alexandre Rodrigues Santa Cruz.

86 páginas. 2011 01/06/2011

Send to Kindle


Resumo

O Futsal é uma das modalidades coletivas que mais tem crescido nos últimos anos, entretanto, as investigações sobre a performance nesse esporte configuram-se em uma abordagem recente no treinamento desportivo. Dessa forma, o objetivo desse estudo foi observar o desenvolvimento das capacidades motoras de atletas juvenis de futsal submetidos a três programas de treinamento durante um período de 16 semanas, sendo um programa baseado na Teoria Clássica do Treinamento Desportivo, outro programa baseado no treinamento por Cargas Seletivas com Treinamento Integrado, e outro baseado apenas no jogo. Foram selecionados de forma intencional 44 atletas do sexo masculino, praticantes de futsal, com idade entre 16 e 17 anos, pertencentes a três equipes de futsal. Uma equipe composta por 16 atletas adotou a periodização orientada pelo Treinamento Clássico (GTC), outra equipe composta por 14 atletas adotou a periodização por Cargas Seletivas com treinamentos integrados (GTI), e a terceira equipe formada por 14 atletas apenas realizava treinamentos utilizando o jogo de futsal (GJ). Os atletas foram submetidos a avaliações antropométricas (peso da massa corporal, estatura e percentual de gordura corporal) e a testes para verificar as alterações motoras: corrida de 20 metros para avaliar a velocidade; salto horizontal para mensurar a força de membros inferiores; o Illinois Agility Test para mensurar a agilidade; o Yo-yo endurence Test para conhecer a capacidade aeróbia e; o Running-based Anaerobic Sprint Test – RAST para avaliar a potência anaeróbia. As avaliações foram realizadas em três momentos distintos, com o objetivo de avaliar os programas de treinamento aplicados. Foram realizadas três coletas de dados, sendo a primeira no início dos treinamentos (A1), a segunda após o período preparatório (A2), e a terceira na fase final do período competitivo (A3). Para análise estatística, foram considerados os três grupos, utilizando no plano descritivo, medidas de centralidade e dispersão e, no inferencial, teste de Shapiro-Wilk para normalidade, correlação linear de Pearson, ANOVA one-way para diferenças entre variáveis, seguida do post hoc de Tukey para comparações múltiplas quando necessário, com p<0,05. Os resultados apontam que o GTC obteve um ganho de performance na capacidade aeróbia quando comparado com os GTI e GJ, desde o período preparatório até o final do período competitivo. Nas variáveis anaeróbias o GTI apresentou um melhor desempenho quando confrontado com os demais grupos, com um aumento significativo para a velocidade, agilidade e força de membros inferiores de A1 para A3. No teste de RAST verificou-se pela análise estatística dos dados que houve para a variável Potência máxima uma melhora acentuada apenas no GTC entre A2 e A3, na Potência média um ganho significante para os GTC e GTI entre A1 e A3 e menores índices de fadiga entre A1 e A3 para ambos os grupos. O GJ se manteve estável nas variáveis analisadas ao longo do estudo, com uma melhora significativa apenas na velocidade entre A1 e A3. A partir dos resultados obtidos nesse estudo, pode-se concluir que o treinamento clássico provocou um aumento significativo para a capacidade funcional (VO2) dos atletas, o treinamento integrado gerou um acréscimo expressivo nas variáveis neuromotoras do grupo estudado e o treinamento utilizando apenas o jogo como conteúdo das sessões não foi capaz de alterar de forma significativa as capacidades motoras dos atletas que compuseram esse grupo. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.