Efeitos de Um Programa de Alongamento na Arquitetura Muscular e no Torque dos Flexores e Extensores de Joelho

Por: Guilherme de Almeida Gerken.

64 páginas. 2014 19/12/2014

Send to Kindle


Resumo

A musculatura extensora da articulação do joelho (reto femoral, vasto lateral, vasto medial e vasto intermédio) é mais vocacionada para geração de torque, pois apresenta grande volume muscular com arquitetura penada. Já o grupamento flexor (bíceps femoral, semitendíneo e semimembranáceo) exibe menor capacidade de geração de torque, tendo em vista seu menor volume e fibras mais fusiformes. As demandas impostas a esta articulação pela prática da atividade física podem resultar em adaptações musculares específicas, que são capazes de gerar desequilíbrios de força e predispor o indivíduo a lesões. Diferentes métodos de treinamento têm sido propostos para correção destes desequilíbrios. Geralmente os treinamentos de força em equipamento isocinético ou isotônico são os mais empregados. Embora haja indícios de que o treinamento de alongamento produza um moderado acréscimo do torque, não foram encontrados trabalhos que se propusessem a verificar de que forma esta atividade poderia influenciar no equilíbrio de torques no joelho. Portanto, este trabalho tem por finalidade, verificar a influência de um programa de alongamento na razão de torque flexor e extensor de joelho e observar, também, se ocorre alguma modificação estrutural na musculatura envolvida, através da ultrassonografia.

Endereço: http://www.eefd.ufrj.br/stricto-sensu

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.