Efeitos de Um Programa Escolar de Pilates Sobre a Flexibilidade dos Isquiotibiais de Adolescentes

Por: María Carrasco Poyatos, Noelia González-gálvez, Pablo Jorge Marcos Pardo, Rodrigo Gomes de Souza Vale e Yuri Feito.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.21 - n.4 - 2015

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Baixos níveis de flexibilidade dos músculos isquiotibiais podem desencadear patologias e lesões agudas e crônicas. Esses níveis baixos são observados entre adolescentes, e diversos autores têm recomendado o uso de programas específicos nesta população para melhorar a flexibilidade. O método Pilates (MP) pode ser uma intervenção adequada para alcançar essa finalidade, mas raramente tem sido utilizado nessa população. Objetivo: Avaliar as alterações nos níveis de flexibilidade dos isquiotibiais após a aplicação de uma unidade didática do MP nas aulas de Educação Física para adolescentes. Métodos: Esta pesquisa foi desenvolvida por meio de um desenho quase-experimental. A amostra foi composta de 66 alunos do ensino médio, divididos em um grupo experimental (GE = 39) e um grupo controle (GC = 27). A intervenção foi realizada com frequência de duas vezes por semana durante seis semanas. Cada sessão durou 55 minutos e foi dividida em três partes: aquecimento, parte principal e relaxamento. Os níveis de flexibilidade dos isquiotibiais foram avaliados através do teste de toque nos dedos dos pés. Foram empregados testes t de Student pareado e, para amostras independentes o teste t. O tamanho do efeito (d) foi calculado. Resultados: O GE apresentou aumento significativo dos níveis de flexibilidade dos isquiotibiais (+3,54 ± 3,9 cm). O tamanho do efeito foi baixo (d>d>0,2<0,53), o que significa que uma pequena parte dos participantes melhorou seu resultado. O GC não apresentou alterações significativas após o período de treinamento. No GE, os grupos masculino (+3,38 ± 3,7 cm) e feminino (+3,85 ± 4,2 cm) apresentaram melhoras significativas. O tamanho do efeito foi baixo para o grupo masculino (d>d>0,2<0,53), o que significa que uma pequena parte dos participantes melhorou seu resultado, e foi alto para o grupo feminino (d >1,15), mostrando que grande parte dos adolescentes melhorou seu resultado. Conclusão: Este estudo mostrou que seis semanas de aplicação do método de Pilates nas aulas de Educação Física proporcionaram melhoras significativas nos níveis de flexibilidade dos isquiotibiais entre os adolescentes

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1517-86922016000200097&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.