Efeitos do Bochecho com Carboidrato Sobre o Desempenho Físico, Respostas Cerebrais e Psicofisiológicas de Ciclistas Mentalmente Fadigados Durante Um Teste Incremental Máximo

Por: Cayque Brietzke Barreto.

67 páginas. 2019 14/03/2019

Send to Kindle


Resumo

Estudos têm demonstrado separadamente, a redução do desempenho aeróbio após uma tarefa de alta demanda cognitiva, e a melhora do desempenho físico através da suplementação com bochecho de carboidrato (CHO), levando à hipótese de que o bochecho com CHO possa atenuar a redução do desempenho aeróbio induzida pela fadiga mental. Portanto, nosso objetivo foi investigar se o uso do bochecho com CHO pode melhorar o desempenho físico, atividade cortical e respostas psicofisiológicas em ciclistas mentalmente fadigados submetidos a um teste incremental máximo (TIM). Métodos: 19 ciclistas treinados (7,56 ± 5,89 anos de experiência, 4,43 ± 0,45 VO2PICO, 359,61 ± 22,92 WPICO) realizaram 5 visitas ao laboratório, sendo as duas primeiras em ordem sequencial e as últimas três balanceadas de acordo com a descrição a seguir: 1) familiarização com TIM (teste preliminar), instrumentos e protocolo de FM; 2) TIM controle (CON) e segunda familiarização com o protocolo de FM; 3) TIM+FM; 4) TIM+FM+CHO; 5) TIM+FM+placebo (PLA). Respostas cardiopulmonares, potencia, percepção subjetiva de esforço (PSE) e valências afetivas foram analisadas durante o TIM, enquanto a atividade de córtex pré-frontal (CPF) e córtex motor primário (CMP) foram analisadas em intervalos regulares (a cada 25 % do TIM preliminar). As respostas psicológicas e atividade de CPF em repouso foram comparadas através do teste t de student, enquanto todas as respostas durante o TIM foram comparadas através de uma de modelos mistos. Resultados: os ciclistas mentalmente fadigados atingiram WPICO ~ 2,18 % e ~ 2.23 % maior na manipulação FM+CHO do que na manipulação FM (P = 0,09) e FM+PLA (P = 0,02). Além disso, o tempo até a exaustão na manipulação FM+CHO foi ~ 2,01 % e ~ 2,14 % maior do que na manipulação FM (P = 0,05) e FM+PLA (P = 0,03), com tamanho de efeito grande em ambos os resultados. A atividade cerebral em CPF foi maior na manipulação MF+CHO e MF+PLA do que na manipulação MF (P = 0,00). Além disso a ativação de CMP também foi maior na manipulação MF+CHO (P = 0,00) e MF+PLA (P = 0,01) do que na manipulação FM, mas nenhuma diferença foi encontrada entre os bochechos. As respostas psicofisiológicas não tiveram diferenças significantes entre as manipulações. Conclusão: O bochecho com CHO foi capaz de atenuar a perda de desempenho comparado à manipulação FM+PLA, mas não comparado à FM. Alémdisso, tanto FM+CHO quanto FM+PLA induziram maior atividade de CPF e CMP comparados à FM

Endereço: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/100/100139/tde-16042019-081649/pt-br.php

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.