Efeitos do Treinamento de Força Sobre a Bradicinesia, Força Muscular e Desempenho Funcional em Indivíduos com Doença de Parkinson

Por: Ariel Vieira de Moraes Filho.

97 páginas. 2013 31/08/2013

Send to Kindle


Resumo

Dentre os sintomas da doença de Parkinson (DP), a bradicinesia e a fraqueza muscular figuram como os aspectos motores mais incapacitantes, responsáveis por queixas relacionadas a dificuldades no desempenho das atividades da vida diária (AVDS) e maior nível de dependência. Tem sido demonstrado que a prática de atividade física em geral promove benefícios em portadores da DP. Mais recentemente, o treinamento de força (TF) vem sendo apontado como intervenção eficaz nessa população, entretanto, seus efeitos precisam ser melhor investigados. O objetivo do presente estudo foi verificar os efeitos de 9 semanas de (TF) sobre a força muscular, bradicinesia e desempenho funcional, em indivíduos acometidos pela da DP. Foram avaliados 62 indivíduos em período pré intervenção e divididos aleatoriamente em grupo treinamento (GT, n=31) e grupo controle (GC, n=31). Ao final do programa restaram 42 indivíduos sendo 15 do GC e 25 do GT, os quais foram reavaliados. O programa de treinamento consistiu em 9 semanas de TF, sendo 3 semanas de familiarização com cargas leves e intensidade de 15 a 20 repetições máximas (RM) e 6 semanas de carga progressiva e intensidade de 10 a 12 RM. Em todas as sessões foram realizados um total de 5 exercícios para membros superiores e inferiores. Para a avalição clínica da bradicinesia foram utilizados o Ten Meters Walk Test (TMW); Timed Up and Go Test (TUG) e sub escala de bradicinesia (BSE), da seção III da Unified Parkinson’s Disease Rating Scale (UPDRS). A performance funcional, foi avaliada nos testes: (a) força - 30 seconds Chair - Stand Test (T30); (b) TMW e (c) TUG. A força muscular foi avaliada através do pico de torque isocinético absoluto (PTA) e pelo pico de torque relativo (PTR). A significância estatística adotada para as análises foi de p≤ 0.05. A ANOVA de medidas repetidas mista revelou a redução significante no grupo treinamento para as variáveis TUG, BSE, aumento significante para TMW (p ≤ 0,001), mas não para força isocinética. Para o T30 utilizou-se o Wilcoxon Test, que demonstrou aumento significante na força funcional (p ≤ 0,001). O tamanho de efeito, extraído da anova de medidas repetidas mista, demonstrou um elevado efeito clínico de (0,9) do TR sobre a BSE e moderado, sobre TUG (0,42), TMW (0,49). O tamanho de efeito, extraído do teste t, demonstrou moderado efeito clínico sobre o T30 (0,41). Nesse sentido, conclui-se que o TF foi eficaz em reduzir a bradicinesia no período de 9 semanas e aumentou o desempenho funcional dos indivíduos treinados mesmo sem o aumento significante da força muscular. 

Endereço: http://googleweblight.com/?lite_url=http://repositorio.unb.br/handle/10482/14712&lc=pt-BR&s=1&m=638&host=www.google.com.br&ts=1524756921&sig=APs-2GymDSRLkImQsTFHGxK0enhOTXQJdg

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.