Efeitos do Treinamento em Jogos Reduzidos com Inferioridade Numérica no Futebol.

Por: Alexandre de Souza e Silva, Fábio Vieira Lacerda, Guilherme Pascoal Mereu, Jasiele Aparecida de Olivei e Victor Hugo de Siqueira Montalvão.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.23 - n.1 - 2017

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Os jogos reduzidos são altamente eficientes, pois permitem a simulação de movimentos que ocorrem durante uma partida e geram melhor resposta fisiológica, perceptiva e técnico-tática. Objetivo: Comparar os efeitos do treinamento de jogos reduzidos com inferioridade numérica 3 vs. 4 e 4 vs. 5 sobre a variação da frequência cardíaca, percepção subjetiva de esforço e teste de atenção concentrada em atletas de futebol. Métodos: A amostra foi composta por 10 indivíduos do sexo masculino, com idade entre 17 e 24 anos. Para análise da frequência cardíaca média e máxima durante os jogos com campo reduzido e o coletivo foram utilizados monitores de frequência cardíaca e, para determinar a percepção subjetiva de esforço, utilizou-se de uma adaptação da escala de Borg. Também foi usado o teste de atenção concentrada. Resultados: Os resultados demonstram que os métodos de treino apresentam diferenças no teste de atenção concentrada (p < 0,004). A frequência cardíaca média (p < 0,121), máxima (p < 0,404) e a percepção de esforço (p < 0,639) não apresentam diferenças entre os métodos de treinamento. Conclusão: Concluímos que os jogos reduzidos com inferioridade numérica melhoram os resultados do teste de atenção concentrada.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1517-86922017000100042&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.