Efeitos do Treinamento Físico no Endotélio Após Cirurgia de Revascularização

Por: Ana Paula Cardoso Pereira, Claudio Tafarel Mackmillan da Silva, Luis Ulisses Signori, Melina Hauck, Priscila Aikawa e Renata Gomes Paulitsch.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.21 - n.6 - 2015

Send to Kindle


Resumo

Introdução: A cirurgia de revascularização do miocárdio (CRM) é uma das mais frequentes cirurgias realizadas em todo o mundo, muitos estudos vêm relatando os benefícios do treinamento físico para a melhora da capacidade funcional, porém há poucos estudos sobre os efeitos na função endotelial vascular. Objetivo: Analisar os efeitos do treinamento físico sobre a função endotelial vascular em pacientes submetidos à CRM, isoladamente na fase tardia da reabilitação após seis meses de programa de reabilitação cardíaca (PCR). Métodos: Foram incluídos pacientes que haviam sido submetidos à CRM no período máximo de um ano após a cirurgia. O PRC foi empregado durante seis meses consecutivos, com três sessões semanais. Todos os pacientes realizaram exames laboratoriais, teste de força muscular de uma repetição máxima (1-RM) para os membros superiores e inferiores, teste de caminhada de 6 min (TC6M) e avaliação da função endotelial através da técnica de vasodilatação mediada pelo fluxo. Resultados: Onze pacientes iniciaram o PRC, porém nove pacientes o completaram. A média de idade foi de 66 anos (50 a 82 anos) e o sexo masculino foi predominante (55,6%). Houve mudanças significativas nos exames laboratoriais bioquímicos: aumento do colesterol total (Basal: 162 ± 31mg/dL vs. 195 ± 39mg/dL; P=0,012) e diminuição da hemoglobina glicada (Basal: 6,74 ± 1,64% vs . 6,26 ± 1,62%; P=0,028). A força muscular aumentou significativamente nos membros superiores e inferiores (P=0,030 e P=0,038, respectivamente); no TC6M observou-se um aumento significativo de 20% na distância percorrida (P=0,020) após seis meses consecutivos de treinamento e houve uma melhora na vasodilatação mediada pelo fluxo (Basal: 6,35 ± 3,92% vs . 6 meses: 9,90 ± 4,19%; P=0,026). Conclusão: O treinamento combinado realizado em seis meses ajudou a melhorar a função endotelial e a capacidade funcional de pacientes sedentários que foram submetidos à CRM na fase tardia da reabilitação.
 

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1517-86922016000200097&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.