Efeitos do Treinamento Físico no Pâncreas de Camundongos Fêmeas Ldl Knockout Ovariectomizadas

Por: Aparecida Gabriela Bexiga Veloso.

99 páginas. 2017 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Efeitos do treinamento físico no pâncreas de camundongos fêmeas LDL knockout ovariectomizadas. [Dissertação]. Curso de Mestrado da Universidade São Judas Tadeu. São Paulo, 2017. Mulheres menopausadas, sedentárias e com maus hábitos alimentares, podem apresentar aumento de peso e maior porcentagem de lipídios na corrente sanguínea, resultando no acúmulo destes lipídios em tecidos periféricos, como fígado, músculo esquelético e pâncreas. Nesta situação, o pâncreas aumenta a sua atividade, aumentando a secreção e biossíntese da insulina, como uma tentativa de regularizar o metabolismo. Ainda não está bem claro, a influência do treinamento físico no pâncreas de animais dislipidêmicos associados à ovariectomia. O objetivo do presente trabalho foi analisar os efeitos do treinamento físico sobre o pâncreas de camundongos fêmeas LDL Knockout ovariectomizadas submetidas a treinamentos físicos aeróbios. Foram utilizados 30 camundongos fêmeas com 9 meses de idade, sendo15 camundongos fêmeas selvagens C57BL/6 e 15 camundongos ovariectomizados, knockout do receptor de lipoproteína de baixa densidade, distribuídos em grupos: controle Sedentário (CS), controle ovariectomizado sedentário (COS), controle ovariectomizado treinado (COT), LDL sedentários (LDL-S), LDL ovariectomizado sedentário (LDL-OS) e LDL ovariectomizado treinado (LDL-OT). Os animais exercitados realizaram um programa de treinamento físico aeróbio moderado, uma hora por dia, 5 dias por semana, durante 4 semanas. Ao final do treinamento os animais foram decapitados, retirado o pâncreas e o tecido adiposo visceral. As amostras foram pesadas e fixadas em formol 10% por 24hs e submetidas ao processamento histológico, sendo coradas com hematoxilina e eosina e imunomarcadas por marcadores de insulina e glucagon. Foram realizadas análises morfoquantitativa e estereológica através de imagens capturadas pelo programa (AxioVision- Zeiss). Foram analisadas as densidades de volume das células imunomarcadas alfa e beta, os diâmetros maior e menor (μm) e a área das ilhotas pancreáticas (μm²). Os dados obtidos foram tabulados e comparados através de análise estatística Anova (two way) e nível de significância p‹0,05. Os resultados obtidos mostraram que: a ovariectomia induziu ao aumento das massas corporal e do tecido adiposo visceral, e que o treinamento promoveu diminuição nestes parâmetros; o grupo dislipidêmico treinado (LDL OT) apresentou aumento significante no teste de esforço físico; a ovariectomia acentuou de forma significante os valores das concentrações do Triglicérides, VLDL e Colesterol total, e o treinamento apresentou uma tendência a reversão deste processo; a ovariectomia promoveu uma tendência ao aumento da área e diâmetro médio das ilhotas pancreáticas, da densidade de volume e apresentou um maior número de ilhotas grandes; a dislipidemia, promoveu diminuição significante na densidade de volume dos vasos das ilhotas, porém o treinamento, teve uma tendência ao aumento, mas não significante; e a ovariectomia gerou uma tendência ao aumento na imunomarcação das células-beta e uma diminuição significativa nas células-alfa pancreáticas e que o treinamento reverteu este processo, levando os valores próximos ao controle. Concluímos que o treinamento físico minimiza os efeitos da dislipidemia associada a ovariectomia no tecido pancreático de animais LDL Knockout.

Endereço: http://www.usjt.br/pgedf/conteudo/banco-de-dissertacoes.php?ano=2017

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.