Efeitos do Treinamento Resistido e do Destreinamento na Inflamação e Expressão de Genes do Metabolismo Muscular e Tecido Adiposo de Ratos Alimentados Por Dieta Hiperlipídica

Por: Marcelo Conrado de Freitas.

57 páginas. 2016 16/02/2016

Send to Kindle


Resumo

A ingestão de dieta hiperlipídica pode afetar negativamente o metabolismo celular de diversos tecidos podendo desencadear aumento da inflamação e resistência à insulina no tecido adiposo (TA) e músculo esquelético (ME). A realização do treinamento resistido (TR) pode resultar em adaptações importantes para indivíduos com alterações metabólicas. No entanto, ainda há poucos relatos na literatura sobre os efeitos crônicos do TR na inflamação e expressão de genes envolvidos no metabolismo do TA e ME. Também é pouco conhecido se a cessação do TR poderia causar reversão ou piora dos prováveis beneficios dos efeitos do TR sobre estes parâmetros. Objetivos: Analisar o efeito do TR e do destreinamento de 4 semanas sobre a inflamação e padrão de expressão de genes do metabolismo muscular e do tecido adiposo de ratos alimentados por dieta hiperlipídica. Métodos: Trinta ratos machos Wistar com idade de 2 meses foram subdivididos em três grupos, Dieta Hiperlipídica (DH), Dieta Hiperlipídica Treinado (DHT) e Dieta Hiperlipídica Destreinado (DHD). O treinamento resistido durou 12 semanas, sendo realizado numa plataforma de salto, 3x na semana, cada sessão com 3 séries de 12 repetições, com incremento de carga a cada duas semanas. O grupo DHD interrompeu o treinamento a partir da oitava até a décima segunda semana. Foi analisada a expressão da proteína TNFα, a expressão gênica de AMPK, GLUT-4 e MEF2A no músculo sóleo. Já no TA periepididimal foi analisada a expressão proteica de TNFα e PPARγ, e expressão gênica de TNFα, PPARγ, ACC e HIF-1α, utilizando as técnicas de RT-PCR e Western blotting. Resultados: o TR aumentou a expressão dos genes AMPK em 23%, GLUT-4 em 24% e MEF2A em 20% (p<0,05) e ainda reduziu a expressão proteica em 51% e gênica em 28% de TNFα no ME (p<0,05). Já no TA o grupo DHT apresentou menor expressão gênica de TNFα (40%), ACC (32%) e HIF-1α (31%) (p<0,05) comparado ao grupo DH.

Endereço: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/136325

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.