Efeitos Imediatos do Uso de Palmilha Proprioceptiva Sobre Parâmetros Cinéticos da Locomoção de Adultos Sadios

Por: A. P. C. Calvo, A. Y. Y. Hamanaka e M. H. Mathias.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

Informação somatossensorial adicional favorece o controle postural estático e dinâmico. Uma palmilha com 40 semiesferas de 5mm de diâmetro sobre sua superfície estimula a somatossensação das solas dos pés e promove melhoras no controle postural ortostático de indivíduos idosos saudáveis e com doença de Parkinson (DP). No equilíbrio dinâmico de idosos com DP, os efeitos imediatos desta palmilha foram inexpressivos e seus efeitos crônicos foram timidamente positivos. Estes resultados não fornecem compreensão da abundância da informação somatossensorial sobre a locomoção em virtude de a amostra estudada apresentar os efeitos deletérios do envelhecimento conjugado (ou não) à doença degenerativa do SNC (i.e. DP). Por isso, pretendemos avaliar os efeitos imediatos promovidos pela palmilha proprioceptiva na locomoção (fase de apoio simples) de adultos sadios em suas variáveis cinéticas. Doze homens sadios (27,69 ±6,37anos; 71,92 ±6,49kg; 1,74 ±0,05m; destros para chute) participaram do estudo. Os participantes realizaram três tentativas válidas de locomoção em velocidade autocontrolada por uma passarela acoplada a uma plataforma de equilíbrio. O experimentador estipulou o ponto de partida para cada participante para que o passo fosse realizado integramente sobre a plataforma de equilíbrio (100Hz; Butterworth 5Hz/ 4ªordem/passa-baixa). A tarefa foi realizada em duas condições de palmilha: Convencional [S] e Proprioceptiva [P], alternando os membros de apoio (membro esquerdo [E]; membro direito [D]) sobre a plataforma de equilíbrio. Teste t de Student, ou Wilcoxon, (p<0,05) e Tamanho do Efeito foram realizadas entre condições para cada membro. Foram analisadas três variáveis espaciais, e seis espaços-temporais nas direções ânteroposterior (AP) e médio-lateral (ML); quatro variáveis temporais; e 10 variáveis cinéticas (Força de Reação do Solo - FRS) em três fases do passo: contato com o calcanhar; suporte simples; e propulsão. No membro [D] houve diferenças entre uso de palmilhas em Amplitude Máxima ML do CoP ([S] 0.268 ±0.294cm; [X] 0.109 ±0.222cm; Z= -3,059; sig= 0,002; ES= 0,9); e Tempo até 2º Pico de FRS ([S] 0.75 ±0.11s; [X] 0.63 ±0.19s); t= 2.996; p= 0.01; ES = 0.8). No membro [E] verificou-se diferenças em: Velocidade Média do CoP ML ([S] -19.69 ±9.0cm/s; [X] -24.15 ±13.50cm/s; Z= -3,059; sig=0,002; ES= 0,9); e Taxa de Desenvolvimento da FRS ([S] 1.60 ±0.34 PC/s; [X] 1.72 ±0.69 PC/s; Z= -3.059; p= 0.002; ES= 0.9). Em geral, as oscilações do membro [D] obtiveram queda na amplitude ML e redução do tempo para Pico de Impulsão com o uso da palmilha [X]. Além disso, a palmilha [X] aumentou a Velocidade do CoP e a Taxa de Desenvolvimento da FRS no membro [E]. Estes resultados indicam que a palmilha [X] promove alterações imediatas nas características cinéticas da locomoção de adultos saudáveis, sugerindo melhora na estabilidade dinâmica. Novas investigações são indicadas para as dimensões destas alterações na população adulta sadia.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.