Efeitos da Ingestão dos Aminoácidos de Cadeia Ramificada na Fadiga Central

Por: Francisco Alves e Paulo Armada da Silva.

Revista Portuguesa de Ciências do Desporto - v.5 - n.1 - 2005

Send to Kindle


Resumo

RESUMO A descoberta de alterações na actividade e concentração intracefálica de alguns neurotransmissores, nomeadamente a serotonina (5-hidroxitriptamina, 5-HT), durante e após o exercício intenso de longa duração, colocou a questão da relação entre o conhecido efeito depressor destes compostos e o controlo metabólico em esforço de dominante aeróbia. A perturbação do funcionamento dos sistemas monoaminérgicos encefálicos induzida pelo exercício pode estar na base do impedimento à continuação da activação central do sistema neuromuscular em situações próximas do limite, tão habituais no atleta de fundo quando em competição. Ora, sabe-se que a taxa de síntese da 5-HT é sensível à concentração plasmática do triptofano (TRP) livre, dos aminoácidos de cadeia ramificada (AACR) e dos ácidos gordos, o que permitirá a manipulação da função serotoninérgica indirectamente através da suplementação de AACR e de hidratos de carbono. A exploração da intervenção dietética ganhou importância devido à probabilidade da suplementação em AACR induzir uma redução da taxa de passagem dos percursores da 5-HT pela barreira hemato-encefálica. É nosso objectivo neste trabalho discutir a eficácia da intervenção dietética sobre os mecanismos subjacentes ao fenómeno da fadiga central a partir da apreciação do quadro actual de conhecimentos sobre estes complexos mecanismos de regulação metabólica e neuro-humoral. Palavras-chave: fadiga central, aminoácidos de cadeia ramificada, serotonina.

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.