Efeitos da Suplementação de Taurina Sobre os Parâmetros de Estresse Oxidativo Muscular Induzidos Por Exercício Excêntrico

Por: Lilian Cardoso Vieira.

2009

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos da suplementação de taurina sobre biomarcadores do estresse oxidativo após o exercício excêntrico. Vinte e quatro ratos da raça Wistar machos foram divididos nos seguintes grupos (n = 6): controle (C); exercício excêntrico (EE); exercício excêntrico com a suplementação de taurina (EET); exercício excêntrico com a suplementação de salina (EES). A quantidade de taurina administrada foi de 300mg/Kg de peso corporal / dia em solução de 1 ml de água deionizada por gavagem oral, por duas semanas antes e 2, 12, 24 e 48 horas após a sessão de exercício. Os animais foram submetidos a uma sessão única de corrida em declive com duração de 90 minutos e velocidade constante de 16,6 m.min-1. Quarenta e oito horas após a sessão de exercício, os animais foram sacrificados e os músculos do quadríceps removidos cirurgicamente. Produção do ânion superóxido, lipoperoxidação, carbonilação das proteínas, conteúdo total de tióis e atividade de enzimas superóxido dismutase (SOD) e catalase (CAT) foram analisados. Os resultados mostram que o grupo EET apresentou uma redução significativa (p<0,05) na produção do ânion Superóxido (0,9 0,2 nmol/min/mg proteína) quando comparado com o grupo EE (1,62 0,2 nmol/min/mg proteína) e o grupo EES (1,55 0,3 nmol/min/mg proteína). A lipoperoxidação foi diminuída já que EET apresentou quantidade de espécies reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS) de 0,13 0,001nmol/mg proteína, significativamente menor (p<0,05) aos outros grupos (EES - 0,18 0,03 nmol/mg proteína e EE - 0,18 0,05 nmol/mg proteína). O conteúdo total de tióis apresentou-se aumentado (p<0,05) no grupo EET (18,8 0,3 nmol TNB/mg proteína) em comparação com EES (13,8 1 nmol TNB/mg proteína) e EE (12,2 1 nmol TNB/mg proteína). O grupo EET demonstrou um valor menor (p<0,05) na carbonilação de proteínas (0,20 0,2 nmol/mg proteína) em relação aos demais grupos (EES - 0,30 0,03 nmol/mg proteína; e EE - 0,30 0,025 nmol/mg proteína). Entretanto, a atividade das enzimas antioxidantes SOD e CAT não teve diferença significativa (p<0,05) com a suplementação da taurina. Os valores da atividade da SOD nos grupos foi de: EE – 1,22 0,25 U de SOD/mg proteína; EET – 1,18 0,15 U de SOD /mg proteína; EES – 1,22 0,12 U de SOD /mg proteína; e da CAT foi: EE - 6,12 0,19 U de CAT/mg proteína; EET- 5,85 0,62 U de CAT/mg proteína; EES – 5,61 0,45 U de CAT/mg proteína. Em conclusão, o estudo demonstra que a suplementação de taurina diminuiu o dano oxidativo, mas não afetou a atividade das enzimas antioxidantes após exercício excêntrico.

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.