Efeitos do Treinamento de Força no Número de Repetições Máximas com Intervalos Incompletos de Recuperação. Flávio Márcio Marinho

Por: Bruno Pena Couto, Flávio Márcio Marinho, Heitor Rodrigues da Silva, , Ricardo Neves Costa e Y. M. Soares.

XIV Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVO:
COMPARAR O NÚMERO DE REPETIÇÕES MÁXIMAS ENTRE SÉRIES CONSECUTIVAS DE FLEXÃO DE COTOVELO REALIZADO COM INTERVALOS INCOMPLETOS DE RECUPERAÇÃO

MÉTODOS
Após realização do teste de 1RM para determinar a força máxima de cada voluntário, foi realizado um re-teste a fim de garantir a fidedignidade do protocolo adotado. Para este estudo foram selecionados 18 voluntários com experiência prévia com treinamento de força, tempo mínimo de experiência de 12 meses sem interrupções. Todos os voluntários executaram quatro séries máximas do exercício flexão de cotovelo no aparelho crossover, a 70% de 1RM, definido pela média dos dois testes de 1RM. A variável número de repetições máximas com intervalo incompleto de recuperação foi adotada como parâmetro para se medir o desempenho dos voluntários em quatro séries com intervalos incompletos de recuperação. O software utilizado para se comparar as possíveis diferenças foi o Anova One Way com medidas repetidas e o nível de significância adotado foi de 0,05.

RESULTADOS:
Foram encontradas diferenças significativas no número de repetições máximas no treinamento de força nas quatro séries. Da primeira série máxima para a segunda série máxima houve diferença de (32,0±11,6%), da segunda série máxima para a terceira série máxima de (23,1±16,7%), e da terceira série máxima para a quarta série máxima de (13,7±14,0%).

CONCLUSÃO:
O treinamento de força com intervalos incompletos de recuperação interferiu de maneira significativa no número de repetições máximas entre séries consecutivas no exercício flexão de cotovelo.

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.