Efeitos do Treinamento Neuromuscular na Aptidão Cardiorrespiratória e Composição Corporal de Atletas de Voleibol do Sexo Feminino. Ricardo Adamoli Simões; Guilherme Souza Lobo Moreira Salles; Pamela Roberta Gomes Gonelli; Gerson dos Santos Leite; Rodrigo Dias; Cláudia Regina Cavaglieri; Idico Luiz Pellegrinotti; João Paulo Borin; Rozangela Verlengia; Silvia Cristina Crepaldi Alves; M

Por: Claudia Regina Cavaglieri, Gerson dos Santos Leite, Guilherme Souza Lobo Moreira Salles, Idico Luiz Pellegrinotti, , Marcelo de Castro Cesar, Pamela Roberta Gomes Gonelli, Ricardo Adamoli Simões, Rodrigo Dias, Rozangela Verlengia e Silvia Cristina Crepaldi Alves.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.15 - n.4 - 2009

Send to Kindle


Resumo

As respostas do organismo humano submetido a estímulos diversos, mensuradas através de parâmetros de performance, têm sido objeto de estudo a fim de aprimorar os métodos de treinamento. O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos do treinamento neuromuscular na capacidade cardiorrespiratória e composição corporal de atletas de voleibol. Foram avaliadas 11 mulheres, antes e após 12 semanas de treinamento, referente à fase preparatória do ciclo anual de treinamento. O protocolo experimental constou de avaliação da composição corporal (percentual de gordura, massa magra e a gordura corporal) e da aptidão cardiorrespiratória por meio de ergoespirometria em esteira rolante com protocolo contínuo e carga crescente, na qual se determinaram o consumo máximo de oxigênio, a frequência cardíaca máxima, o limiar anaeróbio, a frequência cardíaca do limiar anaeróbio e a velocidade do limiar anaeróbio. O treinamento teve frequência de cinco dias por semana dividido em duas sessões: uma de treinamento de força e outra de treinamento técnico e tático. Após o período estudado ocorreram aumentos (p < 0,05) no consumo máximo de oxigênio (6,5%), no limiar anaeróbio (17,5%), na velocidade do limiar (15,3%) e redução (p < 0,05) na frequência cardíaca máxima (-3,1%). Também houve redução (p < 0,05) no percentual de gordura (-8,2%), na gordura corporal (-7,4%) e aumento (p < 0,05) na massa magra (3,2%). Conclui-se que o treinamento neuromuscular realizado na fase preparatória de treinamento contribuiu para o aumento da capacidade cardiorrespiratória e massa magra e para redução do percentual de gordura e a gordura corporal das atletas de voleibol.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922009000500013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.